Internacional

IMIGRAÇÃO

Naufrágio no Mediterrâneo: morrem quatro pessoas e desaparecem trinta e seis na costa de Andaluzia

Ao menos 36 pessoas se encontram desaparecidas, entre eles dois bebês. Foram encontradas 4 pessoas mortas, em um novo naufrágio de uma embarcação pequena de madeira que partiu de Marrocos até as costas de Málaga (Andalúcia) com 55 pessoas.

Cynthia Lub

Barcelona | @LubCynthia

sábado 31 de outubro de 2015| Edição do dia

Outro naufrágio no Mediterrâneo. Desta vez, uma pátera (embarcação pequena de madeira) com 55 pessoas que havia partido da costa de Alhucemas (Marrocos), afundou na madrugada de quinta entre a costa andaluza e marroquina, segundo explicaram algumas das pessoas resgatadas.

Quando a embarcação foi encontrada a 53 milhas da costa de Málaga (Andaluzia), o número de pessoas era menor: 15 adultos de origem subsaariana.

O resto, 40 pessoas, ainda estão desaparecidas e, segundo os sobreviventes, entre eles havia dois bebês. Quando as equipes de resgate encontraram a embarcação viram uma precária pátera totalmente destroçada e com 15 pessoas presas na parte flutuante.

Esse feito se soma a uma verdadeira "semana negra" para os imigrantes. No sábado passado, 24, duas páteras com 31 pessoas de origem magrebe, 11 deles menores, foram resgatadas das costas de Murcia. No mesmo dia, outra pátera com 27 pessoas foi resgatada a umas 55 milhas ao sul da ilha de Gran Canaria.

Porém isso não é tudo, segunda passada morria um jovem subsaariano ao chocar-se com outra pátera (espécie de barco precário, como um "prato", N. T.) em que viajavam 10 pessoas, frente à costa de Ceuta (norte da África).

O resto das pessoas que ocupavam a pátera, todos jovens subsaarianos, foram resgatados e chegaram à praia nadando.

Esta morte aconteceu depois de, na semana passada, outro jovem perder a vida no mar de Ceuta e um mais se deu por desaparecido ao derrubar uma pátera nas imediações da costa sul da cidade, fronteira com Marrocos.

A lista de mortes e desaparições de homens, mulheres e menores nos naufrágios tem sido longa e constante no mês de outubro.

Na segunda, 12, teve muito impacto o caso de outra pátera vinda das costas africanas encontrada em Gran Canaria, com 15 pessoas. Seis delas fugidas das forças de segurança. E entre as 9 pessoas encontradas - três mulheres, quatro meninos e dois homens que subiram na barca precária -, uma delas era uma mulher de cadeira de rodas.

Esta é a terceira que chegava e teria o destino marcado pelas reacionárias leis de estrangeiros: CIEs, os perigos do mar ou a morte nas cercas após a perseguição das forças de segurança.

N.T. : Nota da tradução.




Tópicos relacionados

Imigração   /    Internacional

Comentários

Comentar