Sociedade

REACIONARISMO

Nas redes sociais a comemoração da Casa Grande golpista

Não restam dúvidas, o que o Brasil tem de pior veio à tona nessa quinta-feira, sua classe dominante e aqueles que são influenciados por suas ideias da Casa Grande.

quinta-feira 1º de setembro| Edição do dia

“Quero ir num aeroporto brasileiro só pra ver pobre sendo barrado na entrada, pois com Temer pobre não anda de avião”.

Não restam dúvidas, o que o Brasil tem de pior veio à tona nessa quinta-feira, sua classe dominante e aqueles que são influenciados por suas ideias da Casa Grande. No primeiro dia após a consolidação do golpe institucional, por meio de posts no twitter, com a hashtag #SomosTodosGolpistas.

A rede social twitter funciona basicamente por meio de comentários curtos e diretos sobre qualquer tema, agrupados a partir de alguma hashtag (#). Nessa quinta-feira, primeiro dia após a consolidação do golpe institucional, a partir da hashtag #SomosTodosGolpistas, significativos setores racistas, homofóbicos, machistas e elitistas se manifestaram no twitter, chegando a colocar essa hashtag no topo das mais comentadas da rede social.

Já durante a campanha do impeachment chamava atenção profundos aspectos machistas direcionados à ex-presidenta Dilma, agora esse fenômeno no twitter não deixa dúvidas, para quem ainda tinha alguma, sobre qual é o setor social mais interessado nesse golpe.

O fato é que essa quinta-feira mostrou que além dessa crise social atingir em cheio e de modo dramático milhões de famílias brasileiras, existem aqueles que estão comemorando e se divertindo com isso. São os difusores da ideias da Casa Grande, da Casa Mata. O que vimos nessa quinta-feira no twitter foi uma demonstração da decadência moral e falta de humanidade que o capitalismo alimenta naqueles que o usufruem em condições materialmente melhores.

Nas ruas a juventude desafia a intimidação das PMs que buscam discipliná-la e dar estabilidade ao governo golpista. É necessário erguer um novo junho contra a direita golpista.




Tópicos relacionados

Golpe institucional   /    Sociedade

Comentários

Comentar