Sociedade

#30J

Nas redes sociais, Temer diz que ’alguns’ querem parar o país, mas ’não conseguirão’

Em vídeo gravado nesta sexta-feira, 30, e divulgado nas redes sociais, o presidente Michel Temer tenta criar uma narrativa de retomada da economia, "o Brasil está caminhando...", e deslegitima os trabalhadores que protestam contra seu governo impopular e suas retrógradas reformas, "...apesar de alguns pretenderem parar nosso País". "Não conseguirão", diz o presidente no fim de sua mensagem.

sexta-feira 30 de junho| Edição do dia

Contrariando a realidade, e também os dados que que comprovam a imensa rejeição popular de seu governo, Temer procurou em sua fala legitimar as reformas, citando índices recentes que demonstrariam a recuperação da economia.

"O governo e o Congresso trabalharam e aprovaram medidas importantes nesta semana. É uma prova cabal de que o país não vai parar, continuará avançando. Nesta última quinta-feira, por exemplo, o Conselho Monetário Nacional reduziu a meta de inflação para 4,25% em 2019 e 4% em 2020"

Enquanto 13,8 milhões de brasileiros ainda estão na condição de desempregados, o presidente citou o fato de em 3 dos 5 meses a criação de empregos ter sido positiva. Enquanto diversos trabalhadores amargam a falta de reajuste de seus salários por perdas anteriores, o presidente citou o rebaixamento da meta de inflação para os próximos anos, 2019 e 2020, como um fato a ser festejado.

Em seu pronunciamento, o presidente até tentou apontar um suposto inimigo que quer parar o Brasil, ou impedi-lo de conduzir o país a retomada do crescimento. Entretanto, o seu discurso não condiz com a realidade. As diversas paralisações e os atos que aconteceram nacionalmente, mesmo com o boicote das centrais sindicais, são a expressão de um imenso repúdio da classe trabalhadora, apontada como inimigo por Temer, às reformas e a persistência da crise, tanto política quanto econômica.




Tópicos relacionados

#30J   /    Michel Temer   /    Sociedade

Comentários

Comentar