Sociedade

LIBERAÇÃO FGTS

Não se engane, a liberação do FGTS é para favorecer os banqueiros

Liberação do saque para o FGTS, além de passar longe de compensar a destruição da CLT, favorece mais uma vez o patrão.

quinta-feira 22 de dezembro de 2016| Edição do dia

(Imagem retirada da página da Intersindical)

Conforme já avisamos neste texto, Michel Temer liberou para que os trabalhadores possam sacar valores de contas inativas do FGTS, cujo saldo total no país deve alcançar cerca de R$ 30 bilhões. Ao mesmo tempo em que anuncia essa medida, Michel Temer apresenta uma reforma trabalhista que pretende fazer com que os trabalhadores sejam cada vez mais descartáveis para o patrão.

Como já colocamos aqui, sabemos que esta reforma não tem nenhum interesse em ajudar os trabalhadores, até porque trata-se do mesmo governo que está atacando os trabalhadores desde que pisou no governo através do golpe. (PEC do fim do mundo, o texto da Reforma da Previdência...)

De acordo com o site Brasil 247, o governo diz que existem 10,2 milhões de contas inativas no país. Temer falou aos jornalistas que hoje “cerca de 86% das contas inativas do FGTS têm saldo inferior a uma salário mínimo, ou R$ 880.”

Supondo que esses 86% das contas tenham em média 500 reais de saldo - o que chega ser absurdo, pois muitos dos que tem não se interessam em retirar dinheiro de contas inativas. Isso representaria, caso todos sacassem, - inclusive os mortos - um valor de 4,38 bilhões de reais. Enquanto isso, os saldos dos outros 14% somam R$ 25,62 bilhões, divididos em 1,43 milhões de contas inativas - o que dá um saldo de 17 mil reais em cada uma das outras contas - o que é impossivel pensar que todo este valor vai ser gasto para o consumo

O destino deste dinheiro vai para as aplicações financeiras, o que vai favorecer os banqueiros e setores do ’’mercado financeiro’’.

Com o anúncio da reforma trabalhista, Michel Temer procura criar medidas favorecer os grandes empresários, mas também os banqueiros, com mais este brutal ataque contra os trabalhadores e demais setores populares da sociedade.

Com a medida do FGTS, Temer e a grande mídia hipocritamente tentam dizer para os trabalhadores que mesmo com o brutal ataque que se avizinha, o governo pensa em todos e não somente nos ricos.

Esta medida ocorre num momento onde Temer sofre uma imensa impopularidade e seus ataques começam a ser questionado pela grande maioria dos trabalhadores, mas também de outros setores da sociedade. Com a liberação do FGTS, o governo tente dizer que estes ataques não são contra os trabalhadores, mas o que ele não conta que medida não é nada perto do ’’presente de grego de natal’’ que está sendo preparado para os mesmos.




Tópicos relacionados

Sociedade

Comentários

Comentar