Política

"LEGADO" DE EDUARDO PAES NO RIO DE JANEIRO

Nada de Maricá, Paes se despede da prefeitura do Rio indo para NY: 13 lembranças de seus governos

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), anunciou que, ao concluir seu mandato no final desse ano, pretende viajar para Nova Iorque em 2017. Contudo, tem intenção de se candidatar ao governo do estado em 2018. Trazemos a nossos leitores um breve histórico de "grandes momentos" de Paes na prefeitura do Rio.

Fernando Pardal

@fepardal

quinta-feira 10 de novembro| Edição do dia

1) Gravação do telefonema com Lula – (Maricá)

Quem não se lembra do grampo da conversa telefônica entre Lula e Eduardo Paes que foi "vazado"? Em que o prefeito diz a Lula para deixar de ter "alma de pobre" e comprar um sítio em Atibaia que, em sua visão, seria um lugar ruim, "de pobre", equivalente a - se fosse no Rio de Janeiro - Maricá. Relembre a conversa abaixo.

2) Apoio a Pedro Paulo, o agressor de mulher

Como todo mundo sabe, Paes escolheu como sucessor Pedro Paulo, que agrediu sua ex-esposa.

3) “Vai trepar muito”, fala na entrega de apartamentos

Entregando um apartamento, o prefeito fez piadas com a futura moradora dizendo que ela "ia trepar muito no quartinho"

4) Indenização pelo terreno de Jacob Barata na Jornada Mundial da Juventude

Quando foi realizada a Jornada Mundial da Juventude no Rio, Paes quis aproveitar a deixa para ter um governo "abençoado". Mas sua "benção" foi uma terraplanagem e outras indenizações para valorizar o terreno de seu "parceiro" Jacob Barata, dono da máfia do transporte carioca que lucra com nosso sufoco.

5) Acidente da ciclovia Tim Maia

Paes fez a ciclovia Tim Maia para enfeitar a cidade para as Olimpíadas mas... veio a onda e levou, menos de três meses depois da conclusão da obra de R$ 45 milhões. O saldo foi uma morte, e Paes, claro, quis culpar a onda. Raul Seixas, décadas antes, já tinha inocentado as ondas:

6) Ameaça de demissão e repressão de garis grevistas

Após a histórica greve dos garis que derrotou a patronal da Comlurb, o sindicato pelego e o governo de Paes, ele passou a demitir os garis que estiveram na linha de frente da greve.

7) Reprimiu os professores junto com Cabral, 2013

Frente à poderosa greve dos professores de 2013, esteve lado a lado com Cabral para reprimir a greve da categoria. Declarou que "A gente não pode viver sob ameaça. Estamos fazendo o que é melhor para a população, para prefeitura e pela categoria."

8) Removeu mais de 67 mil pessoas

Paes foi um recordista na remoção de pessoas de suas casas para a Copa e as Olimpíadas, chegando a 67 mil remoções, mais do que Pereira Passos e Carlos Lacerda juntos. Alguns casos são emblemáticos, como o da Vila Autódromo

9) Amigo do Cabral, investigado na Lava Jato

Paes e Sérgio Cabral são grandes amigos, como podemos ver na ligação para Lula, em que ele lamenta não ter mais os "parceiros" Cabral e Lula e sim Dilma e Pezão. Defendeu a presença do ex-governador na abertura da Olimpíada, são os dois do partido que foi linha de frente do golpe, e Cabral é denunciado na Lava-Jato e acusado de ter recebido propina pela reforma do Maracanã

10) É o "Nervosinho" da planilha da Odebrecht

Leandro Azevedo, executivo da Odebrecht, cita Paes em sua delação premiada dizendo como fazia para acalmar o "nervosinho" durante as obras das Olimpíadas. Os meios para acalmá-lo todos podem imaginar, mas possivelmente logo saberemos em detalhes.

11) Retirou 500 linhas de ônibus da cidade

Com a implementação do BRT, Paes cortou 500 linhas de ônibus da cidade, precarizando ainda mais o que já era um sufoco cotidiano

12) O desaparecimento das vigas da Perimetal e uma "lembrancinha" para o prefeito

O "nervosinho" disse que era inacreditável quando ocorreu o "discreto" furto de seis vigas que pertenciam à perimetral durante seu desmonte. Cada uma delas tinha 40 metros e 20 toneladas, e no total seriam suficientes para erguer duas torres Eiffel. Sua durabilidade era calculada como "praticamente eterna", e haviam sido fabricadas na CSN. O valor estimado do roubo é de R$ 280 milhões.

Contudo, mesmo "nervosinho" com o roubo das vigas, Paes quis levar um pedaço da Perimetral de lembrança para a Gávea Pequena, residência oficial da prefeitura.

13) Um canguru para o prefeito olímpico

Depois de críticas da delegação australiana (e diversas outras) sobre os problemas nas instalações da Vila Olímpica, Paes ironizou dizendo em entrevista coletiva "Eu estou quase colocando um canguru na frente do prédio pra fazer com que eles se sintam mais em casa". Em resposta, os australianos disseram "Não precisamos de cangurus, mas sim de encanadores". Depois, recebeu dos australianos um canguru de brinquedo de presente em homenagem à sua calorosa recepção. Na inauguração da Vila, Paes havia dito "A Vila representa o mundo que sonhamos".

Depois dessas excelentes gestões, Paes pode descansar tranquilamente até a eleição para governador. Mas, como ele não tem "alma de pobre", não será em Maricá, mas sim em Nova Iorque.




Tópicos relacionados

Rio de Janeiro   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar