Educação

REFORMA NO ENSINO MÉDIO

Na surdina e a pedido de Temer, Senado aprova Reforma do Ensino Médio

Abrindo as votações do ano, na surdina, os senadores aprovaram hoje a Reforma do Ensino Médio que prevê a diluição das disciplinas de Sociologia, Filosofia, Educação Física e Artes, e agora segue para aprovação de Temer.

quarta-feira 8 de fevereiro de 2017| Edição do dia

O Senado aprovou hoje a Reforma no Ensino Médio PLV 34/2016, com alterações que prevê a reinclusão de Sociologia, Filosofia, Educação Física e Artes como disciplinas para o Ensino Médio. Mas como já noticiamos aqui, essa alteração nada mais é do que uma forma de iludir a população, já que o texto prevê não a reinclusão das disciplinas, mas a sua transformação em “estudos e práticas”, diluindo o seu conteúdo entre as outras disciplinas.

A Câmara dos deputados aprovou essa alteração em dezembro de 2016, rejeitando outra emenda do PSOL que previa em seu texto a real obrigatoriedade dessas disciplinas. E a grande mídia logo tratou de mentir sobre o conteúdo da alteração aprovada, dizendo que as disciplinas de sociologia, filosofia, artes e educação física, voltariam a ser disciplinas obrigatórias.

Agora o projeto segue para sanção presidencial de Temer e segundo o ministro da educação, Mendonça Filho, o objetivo do governo é aprovar primeiramente a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), para depois começar a implementar a reforma, gradualmente, já a partir de 2018, mostrando que os golpistas têm pressa em atacar ainda mais a educação pública.

Como já mostramos aqui, devemos nos opor a essa reforma, que é a primeira de Temer a ser aprovada, que vai significar a deterioração em níveis ainda mais profundos da escola pública, com professores e funcionários sendo demitidos e a educação colocada à serviço das empresas, abrindo as portas para a privatização e para o trabalho ainda mais precarizado de milhões de jovens por todo o país.

E para isso, é preciso seguir os exemplos deixados por milhares de estudantes que no ano passado ocuparam as escolas, realizando o maior movimento de ocupações do Brasil, mais de MIL instituições ocupadas, a maioria no Paraná. É preciso resistir e lutar contra a reforma de Temer, que junto com a PEC 55, quer destruir a educação pública, entregando de bandeja à privatização.




Tópicos relacionados

Reforma do Ensino Médio   /    Governo Temer   /    Senado   /    Educação

Comentários

Comentar