Política

CORONAVÍRUS

Na linha de frente, trabalhadores de hospitais no Rio estão sem receber

Trabalhadores de três hospitais no Rio que estavam na linha de frente ficam sem salário depois que a OS terem saído da administração do hospital.

quarta-feira 17 de junho| Edição do dia

Os absurdos que vemos nessa pandemia parecem não ter fim. Além das condições precárias, trabalhadores do Instituto de Traumatologia e Ortopedia, em Nilópolis, Hospital Estadual Anchieta, na Zona Portuária do Rio e do Estadual Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias estão trabalhando na linha de frente do combate à pandemia sem receber por isso. Esse último era gerido pela OS Iabas, acusada de escândalos de corrupção na construção de hospitais de campanha do governo de Witzel.

Após o contrato com a OS responsável pela gestão dos respectivos hospitais acabar, os funcionários ficaram trabalhando sem receber e sem nenhuma informação sobre quando voltariam a receber seus salários. Em alguns casos são mais de 3 meses.

Como fica cada vez mais explicitado nessa pandemia, a privatização da saúde só traz precarização do trabalho e um pior atendimento!




Tópicos relacionados

Crise do Coronavírus   /    Coronavírus   /    Política

Comentários

Comentar