Política

DISPUTAS TUCANAS

Na disputa dentro do ninho tucano, quem sai perdendo é a classe trabalhadora

segunda-feira 18 de julho de 2016| Edição do dia

Já pensando em ser candidato a presidente da republica em 2018, o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), entregará secretarias que, juntas administram mais de 2 bilhões do Orçamento estadual a partidos aliados, em troca de apoio a seu candidato à prefeitura paulistana, o empresário João Doria. Estes acordos foram feitos para garantir a Doria uma maior fatia do horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão, tentando torna – lo competitivo.
Hoje, o governador deu posse a um dirigente do PP como secretário do Meio Ambiente. O partido estava afastado da gestão Alckmin desde 2012, quando decidiu apoiar o PT na eleição municipal, numa aliança entre o Paulo Maluf e Lula. O PP retorna ao governo paulista, com a bênção do presidente da legenda, o senador Ciro Nogueira, e ocupando um posto cobiçado: a Secretaria do Meio Ambiente tem um orçamento de 1,2 bilhão para este ano e controla o órgão responsável pelo licenciamento ambiental de empreendimento de todo estado.
Outro aliado de Doria que saiu das conversas com o Alckmin mais fortalecido é o pequeno PHS. O partido, que nunca orbitou em torno de Alckmin, teve a garantia do tucano que assumirá a Secretaria de Turismo. Já o PMB, que também embarcou na campanha de Doria, dividira a pasta com o PHS. Atualmente, o Turismo está com o PV, mas este, também esta nas negociações para se unir com o Doria conseguiu a secretária de Turismo.
Ao todo, o Doria tem sete partidos aliados na sua coligação. Os três restantes – DEM,PPS e PSB já ocupam postos na administração Alckmin.

Quem sai perdendo nesta disputa tucana é a classe trabalhadora

Nesta disputa entre tucanos, quem sai perdendo é a classe trabalhadora e demais setores populares da sociedade. De um lado, temos o senador José Serra que virou ministro golpista de Michel Temer. Dependendo se Temer vai ter sucesso ao aplicar os ajustes que o imperialismo almeja o ministro golpista tucano vai ter uma enorme vantagem contra Geraldo Alckmin para a disputa interna para ver quem vai ser candidato a presidente pelo o PSDB em 2018.
Por ser ministro golpista de Michel Temer, José Serra consegue fechar acordos e alianças com a cúpula da política burguesa brasileira. Por conta disto, o Senador e ministro tucano golpista de Temer tem uma enorme vantagem em relação a Geraldo Alckmin na disputa interna para ver quem vai ser candidato a presidência pelo PSDB. Neste sentido, só resta ao governador do Tucano fazer a sua política de Varejo.
Do outro lado, temos o Geraldo Alckmin que é governador do Estado de São Paulo. Apesar de que Alckmin não usufrui de uma posição tão privilegiada do que José Serra, o governador tucano de São Paulo vem impondo fortes ataques aos trabalhadores a nível estadual. Além disso, Geraldo Alckmin é conhecido por tratar as lutas dos trabalhadores com demissões, corte de ponto e repressão.
De acordo com os próprios especialistas burgueses, a crise econômica brasileira não vai ter seu desfecho antes de 2018. Este cenário deixa indicado que o próximo presidente eleito do país terá que impor no seu mandato, fortes ataques e cortes contra os trabalhadores e demais setores populares da sociedade. O que mostra que qualquer coisa que sair do ninho dos tucanos, vai ser ruim para os trabalhadores.
O fato é que nas eleições para a prefeitura de São Paulo, precisamos de uma voz anticapitalista na câmera dos vereadores para denunciar os políticos dos ricos e este sistema podre e degradado. Com o objetivo de ajudar a impulsionar as lutas que virão o Movimento Revolucionário dos Trabalhadores (MRT) lançou a candidatura da Diana Assunção para pré candidata a vereadora da cidade de São Paulo, assim como a pré-candidatura de Danilo Magrão em Campinas, Professora Maíra em Santo André (ABC Paulista) Flavia Valle em Contagem (MG) e Carolina no Rio de Janeiro.




Tópicos relacionados

Alckmin   /    Eleições São Paulo   /    Política

Comentários

Comentar