Mundo Operário

GREVE DOS PETROLEIROS

Na Bahia, grevistas se somam à ação e vendem gás de cozinha a preços justos para população

Petroleiros em greve realizaram ação de venda de gás de cozinha à preçoes reduzidos também na Bahia, na cidade de Alagoinha. A população se reuniu em frente à distribuidora Brasilgás para comprar botijões por R$ 50,00, e os petroleiros aproveitaram para romper com o cerco midiático da imprensa capitalista.

quinta-feira 6 de fevereiro| Edição do dia

Na tarde de ontem, petroleiros na Bahia se somaram a ação que aconteceu em vários estados do país, e venderam botijões de gás de cozinha com preços reduzidos, numa ação para conscientização e busca de apoio da população à sua greve, que hoje já atinge seis dias consecutivos. A ação aconteceu na cidade Alagoinhas, e diversas pessoas compareceram à sede da Brasilgás na cidade, para aproveitar a oportunidade de apoiar os grevistas e comprar gás a preços reduzidos.

Ontem, os grevistas da Petrobrás na Bahia venderam cerca de 200 butijões pelo preço de R$ 50,00, e aproveitaram a oportunidade para conversar com a população sobre as consequências da privatização da estatal. A primeira ação desse tipo ocorreu no Paraná, onde fica sediada a Fafen, Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados, que está sendo fechada pela Petrobrás, ameaçando deixar mais de 1000 trabalhadores e famílias na rua, e que foi um dos estopins do inicio da greve dos petroleiros.

Os petroleiros, que estão em greve desde o dia 31, realizaram em diversas cidades do Brasil ações de venda de gás de cozinha e gasolina com preços reduzidos. Na manhã desta quarta-feira os petroleiros de Vitória/ES distribuíram cupons de desconto de R$2,00 no litro da gasolina. Os trabalhadores afirmaram que são contra a política de preços aplicada atualmente pela Petrobrás e com a ação buscam mostrar que é possível aplicar valores menores. A ação ocorreu na Reta da Penha, em frente ao prédio da Petrobrás e distribui 100 cupons de desconto. Ações similares ocorreram também em Caxias (RS).

A ação dos petroleiros visou buscar apoio na população, e tentar romper com o cerco feito pela grande mídia a greve que já se alastra para mais de 50 unidades da Petrobrás após 6 dias. Além disso, remete e lembra diretamente das ações dos trabalhadores franceses da companhia elétrica, que durante sua greve desligaram a energia dos bairros ricos, e religaram, também com preços reduzidos, a energia nos bairros pobres de Paris.

Essas iniciativas dos petroleiros demonstram a força da sua greve, que é uma primeira batalha a nível nacional de uma categoria tão estratégica, se enfrentando contra o governo Bolsonaro e sua agenda neoliberal. Por isso mesmo é fundamental que as centrais sindicais como a CUT e a CTB, assim como as entidades estudantis como a UNE, além é claro de DCEs, e Centros Acadêmicos de todo o país, cerquem essa greve de apoio e solidariedade, e impulsionem junto aos petroleiros ações para romper com o cerco midiático que a imprensa burguesa tenta criar para isolar os petroleiros. Os parlamentares de esquerda como os do PSOL devem utilizar todo alcance midiático de seus mandatos para dar visibilidade e gerar solidariedade com os petroleiros.




Tópicos relacionados

Petrobras   /    Privatização da Petrobras   /    Greve dos Petroleiros   /    Bahia   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar