Gênero e sexualidade

DESEMPREGO

Mulheres nordestinas são maioria de desempregadas desalentadas

Com levantamento feito pela Consultoria LCA com dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua do segundo trimestre, via IBGE, a situação mais vulnerável do desemprego atinge mais as mulheres diante da crise e dos ataques dos governos.

segunda-feira 20 de agosto| Edição do dia

Entre os trabalhadores que desistiram de procurar emprego por não encontrarem oportunidade, o chamado desalentado, a maioria são mulheres nordestinas com idade entre 25 e 49 anos. A crise do capitalismo no mundo inteiro, tem como as mulheres trabalhadoras mais precárias o setor mais atacado.

Além de ganhar em geral 30% a menos que os homens no mercado de trabalho, elas são as que desistem de procurar emprego com mais frequência. As mulheres representam hoje 54% dos desalentados. Além disso, de modo geral, 60% dos desalentados estão no Nordeste, que representava 2,91 milhões em junho.

Vítimas da crise capitalista, são as mulheres pobres e negras as que sofrem suas maiores consequências em um país vítima de um crescente autoritarismo do Estado, que via judiciário arbitra contra o direito do voto popular, tutelando as eleições, para que o próximo governo tenha maiores chances de ser de continuidade do governo Temer. Desde a Reforma Trabalhista a cortes profundos na saúde e educação, os trabalhadores que estão sentindo as maiores dores do golpe são justamente essas mulheres.

Atacadas pelo golpe, mulheres decidirão as eleições




Tópicos relacionados

Nordeste   /    Desemprego   /    Racismo   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar