Mourão volta a criticar 13º salário ao defender “planejamento de custos”

Apesar de ter sido repreendido por Bolsonaro na semana passada, General Mourão volta a fazer comentários criticando o 13º salário: “todos saímos prejudicados”.

terça-feira 2 de outubro| Edição do dia

Após sua primeira crítica em relação ao 13º salário, como expresso aqui, o vice de Bolsonaro, General Mourão, volta a fazer comentários atacando este direito dos trabalhadores.

Em declaração feita em São Paulo nesta terça-feira, 02, o general coloca que “no final das contas, todos saímos prejudicados”. A fim de tentar dar base argumentativa a esse ataque, Mourão coloca que é uma questão “que tem que ter planejamento, entendimento de que é um custo”, defendendo que frente à crise que o Brasil atravessa, é necessário que custos como o 13º salário sejam diminuídos através de planejamento e de um “acordo nacional”, para que o país tenha competitividade internacionalmente.

A primeira declaração do general de acabar com o 13º salário chamou atenção de toda a população e meios de comunicação. A fim de evitar aumento de rejeição, Jair Bolsonaro se pronunciou repreendendo seu vice, pedindo que este ficasse “quieto, pois está atrapalhando” e fazendo demagogia ao dizer que não ia mexer no salário, pois é uma forma de “ofensa ao trabalhador”.

Apesar da tentativa de Bolsonaro de se descolar do discurso anti-operário de seu vice Mourão, e dos argumentos do próprio general nesta terça-feira, tentando argumentar e explicar o que quis dizer, defendendo “apenas” um planejamento, fica claro o projeto que defendem: querem acabar com o 13º salário e tantos outros direitos mínimos dos trabalhadores, querem implementar logo a reforma trabalhista para manter os lucros e privilégios dos patrões, um projeto liberal, subordinado aos interesses imperialistas e que garante que serão os trabalhadores a pagar pela crise.




Tópicos relacionados

Hamilton Mourão   /    Eleições 2018   /    Bolsonaro

Comentários

Comentar