Sociedade

PANDEMIA COVID-19

Mortes diárias por COVID no mundo bate novo recorde e total chega a 1,4 milhão

Em meio ao discurso covarde dos capitalistas de "novo normal", número de mortes diária por COVID no mundo bate novo recorde e total chega a 1,4 milhão.

quinta-feira 26 de novembro de 2020| Edição do dia

Enquanto o presidente e sua ala negacionista insiste em negar a gravidade da COVID e os capitalistas mundo a fora tentam ignorar sua existência na sanha de preservar seus lucros com um discurso demagógico de "novo normal"; hoje- segundo o instituto Johns Hopkins, foi batido o recorde mundial de mortes por COVID: pela primeira vez foi registrado a somatória total de mais de 12 mil mortes em 24h e o absurdo de 200 mil obtidos em 23 dias, com isso ultrapassamos a marca de 1,4 milhão de vítimas desde o começo da pandemia.

A universidade americana Johns Hopkins tem um painel em tempo real que monitora o avanço da pandemia em todo o mundo. Ele é abastecido com dados oficiais, que podem ser revisados e alterados.

Assim foram registrados e divulgados os 12.785 óbitos na terça-feira (24), que superaram a marca anterior de 11.840 mortes registradas na sexta-feira (20) e que o mundo teve por quatro dias seguidos mais de 11 mil vítimas do novo coronavírus na semana passada, segundo o balanço da universidade. Como dito foram 200 mil novas mortes em 23 dias.

Nos últimos dias, os Estados Unidos, país mais afetado do mundo superaram as 250 mil mortes, sendo 2146 nas últimas 24h, já o Brasil (que é o segundo) passou de 170 mil óbitos e o México se tornou o quarto país do mundo a ultrapassar a marca de 100 mil vítimas (o terceiro foi a Índia com 134 mil mortes).

Caso é que todas essas vidas ceifadas, não podem ser encaradas apenas como números comparativos, são pessoas que perderam suas vidas principalmente pela sanha dos capitalistas em não querer perder seus lucros.

Desde o começo da pandemia os esforços dos capitalistas foi em minimizar seus prejuízos, ao invés de investir toda capacidade produtiva para produção de testes, vacinas e preservação das vidas.

Se hoje estamos com todas essas mortes é pelo descaso dos capitalistas e como estamos vendo, enquanto a disputa for qual empresa farmacêutica vai lucrar mais com a vacina nós continuaremos com nossas vidas em risco.

É necessário organizar os trabalhadores para acabar com o descaso dos capitalistas, tomar e mudar todo sistema produtivo, garantir que os testes e a vacina cheguem a todos.




Tópicos relacionados

Desfinanciamento da saúde pública   /    Crise na Saúde   /    COVID-19   /    Privatização da Saúde   /    pandemia   /    Saúde Pública   /    Ministério da Saúde   /    Sociedade

Comentários

Comentar