Sociedade

CRACOLÂNDIA

Morre jovem baleado pela PM na favela Moinho

O jovem Leandro Souza Santos, de 18 anos, baleado pela PM em ação na região da cracolândia acaba de falecer.

terça-feira 27 de junho| Edição do dia

Foto de Pedro Ribeiro Nogueira

De acordo com testemunhas os policiais da Rota invadiram a favela Moinho, no centro de São Paulo, por volta das 9h da manhã. Agrediram diversos moradores. Ao entrar na casa de Leandro Souza Santos sem mandado, o garoto se assustou e fugiu para a casa da vizinha. Lá testemunhas contam que foi torturado com um martelo, teve os dentes quebrados e o corpo perfurado por cinco tiros. Testemunhas também afirmaram, contrariando o discurso da PM, que Leandro estava desarmado.

Leandro foi levado ferido até a Santa Casa, mas não resistiu e morreu por volta das 18h. Os moradores em protesto contra a ação violenta da ROTA a mando do prefeito João Dória, fecharam ruas do centro e o terminal de trem da CPTM. Foram brutalmente reprimidos com bombas e spray pimenta. Um jovem foi preso e ainda não há notícias se foi solto.

A mãe de Leandro, Maria Odete Gonzaga de Souza, de 46 anos, em declaração para o G1 afirmou: "Falaram até que meu filho estava com a arma apontada para eles [PMs], mas é mentira. O que eles fizeram com ele foi uma malvadeza, uma crueldade, porque eles não têm o que fazer e ficam tirando a vida de gente inocente."

Dados oficiais do Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) denunciam que as mortes pelas mãos da Polícia Militar de São Paulo superam o número de homicídios na capital paulista. Leandro acaba de entrar para esta triste estatística.

Leia mais: PM de SP mata mais do que os homicidas que ela diz combater




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Violência Policial

Comentários

Comentar