CAPITALISMO MATA

Moradores de bairros pobres vivem 29,8% menos do que ricos de São Paulo

terça-feira 24 de outubro| Edição do dia

Estudo realizado pela Rede Nossa São Paulo e divulgado nesta terça-feira 24, mostra que o capitalismo mata 29,8% mais cedo a população trabalhadora e pobre da cidade de São Paulo. O estudo comparou a mortalidade em diferentes bairros da cidade. Na região dos jardins, zona norte da capital, a expectativa de vida é de 79,4 anos, enquanto na zona sul, Jardim Ângela por exemplo a expectativa é viver até os 55,7 anos.

O estudo mostra que além de ter menos acesso à saúde, educação, lazer, assistência social, saneamento, a renda afeta na qualidade de vida e na expectativa de vida das pessoas. Os moradores do Jardim Paulista possuem o dobro da renda dos moradores da zona sul são em média R$ 3.777,08 contra R$ 1.889,36. O acesso a saúde é um dos dados que mais chama a atenção, o número de leitos hospitalares no Jardim Paulista registra 34,7 leitos públicos e privados disponíveis a cada mil habitantes, no Jardim Ângela são apenas 0,76 por mil habitantes. É assustador pensar que 33 distritos não possuírem nenhuma vaga para internação.
A mortalidade infantil é 20,97 vezes menor em Perdizes (1,04), na Zona Oeste, do que na Sé (21,83).

A mortalidade por causas mal definidas na declaração de óbito é 16,92 vezes maior em Guaianases, que tem índice de 5,30 do que em Santo Amaro (0,313).
O número de óbitos por doenças no aparelho circulatório como AVC, doença isquêmica do coração e infarto do miocárdio, tem Água Rasa como o pior distrito (36,26) e Vila Andrade como o melhor (6,97).

A mortalidade por doenças do aparelho respiratório a cada 10 mil habitantes é de 1,91 no distrito Anhanguera e de 17,39 na Barra Funda.

Esses dados alarmantes mostram concretamente onde a crise está sendo descarregada. A perspectiva com a reforma trabalhista entrando em vigor dia 10 de novembro é que este cenário caótico só tende a piorar. O capitalismo mata a cada dia muito mais do que muitos conflitos armados pelo mundo. Urge romper com esse sistema podre, genocida da população pobre e trabalhadora retomando o caminho da greve geral e impondo que os ricos paguem pela crise!




Tópicos relacionados

favela   /    Capitalismo   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar