Sociedade

DENÚNCIA

Moradores da zona sul de Marília se revoltam e colocam o lixo no meio da rua

Na manhã desta quinta-feira (29) moradores do Jardim Damasco, na zona sul de Marília, realizaram um protesto devido à falta da coleta de lixo no bairro. Diversos sacos foram tirados das lixeiras e colocados na via pública, na esquina da rua México com a rua Sebastião Inocência de Oliveira. A falta da coleta de lixo se estende há quase dez dias.

quinta-feira 29 de dezembro de 2016| Edição do dia

O protesto e o relato dos moradores evidenciam uma situação que já se agrava a quase três meses, onde o município vive um verdadeiro caos em relação a coleta de lixo e também ao depósito em local irregular por parte da prefeitura, localizada no distrito de Avencas.

O Ministério Público (MP), que já multou a Prefeitura de Marília em R$50 mil por dia pelas irregularidades no depósito de lixo no pátio de transbordo do aterro sanitário, também já havia sido interditado pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) meses atrás. Enquanto isso, sacolas se acumulam em diversos pontos da cidade, assim como porcos, urubus e cachorros em situação de rua, que reviram os lixos em busca de comida.

A coleta que hoje é realizada pela empresa terceirizada Monte Azul, possui apenas cinco caminhões para o transporte de lixo, demonstrando a precariedade no serviço da coleta e também nas condições de trabalho de seus funcionários, que trabalham sem os EPIs (Equipamento de Proteção Individual) adequados, como luvas de proteção, calçados de segurança, óculos de proteção contra partículas, máscaras de proteção respiratória e roupas adequadas para proteção do corpo em geral (conjuntos de calça e blusão), para evitar qualquer tipo de contaminação com resíduos e também o contato direto com o lixo.

Esse protesto demonstração a insatisfação dos trabalhadores, aposentados e jovens contra as políticas municipais de precarização e privatização. Esse cenário de precarização e privatização que é aceita pelas gestões municipais, como a de Vinicius Camarinha (PSB), dificilmente mudará com a gestão do próximo prefeito, Daniel Alonso (PSDB).

Outro caso importante que também noticiamos no Esquerda Diário aqui e aqui é a crise do sistema de saúde de Marília, onde os servidores estão em greve desde o dia 20 de dezembro devido ao atraso no pagamento dos salários do décimo terceiro e também devido as péssimas condições de trabalho.

Por isso é mais do que necessário que lutemos contra todos esses ataques dos governos, prefeituras golpistas e os rejeitemos de uma vez! Precisamos nos organizar nos locais de trabalho, nos bairros, nas escolas e ir às ruas protestar para exigir uma nova Assembleia Constituinte Livre e Soberana que discuta os problemas e crises do país desde as bases a partir das assembleias. Basta de ataques as nossas condições de vida!

Confira abaixo o vídeo gravado por um morador do Jardim Damasco:




Tópicos relacionados

Sociedade

Comentários

Comentar