Sociedade

VIOLÊNCIA POLICIAL

Morador da zona norte do RJ é morto por bala perdida em operação da Polícia Militar

Nesta segunda-feira (27) mais um caso de morte por conta da ação da Polícia Militar. A morte teria ocorrido em uma troca de tiros da Polícia Militar com traficantes da região.

segunda-feira 27 de agosto| Edição do dia

Mais uma fatalidade ocorreu nas mãos da Polícia Militar nesta manhã em Triagem, na zona norte do Rio de Janeiro, cidade que está sofrendo fortemente pela crise, onde o avanço dos setores reacionários se tornam extremamente perceptíveis, como, por exemplo, a intervenção federal, que ao contrário de diminuir a violência da região, motivo colocado por setores reacionários para a ação, provoca cada vez mais mortes de moradores de periferias e favelas, principalmente negros e negras.

Nelson de Farias Barros, de 62 anos de idade, estava voltando da padaria quando foi atingido por uma bala perdida. De acordo com a polícia militar, estava sendo feita uma operação para combater práticas criminosas na região, e segundo os PMs não teria ocorrido confronto, versão diferente da que é colocada pelos moradores do local que afirmam que houve uma troca de tiros entre policiais e criminosos por volta das 8hs da manhã, momento em que o morador foi atingido pela bala.O caso segue agora em investigação.

Este é mais um caso de assassinato de um morador das favelas do Rio de Janeiro, que segue sendo exterminada pela polícia racista, que segue matando todos os dias centenas de negro e negras periféricas. Essa polícia que só no ano de 2017 já matou mais de 1000 pessoas, como a jovem Maria Eduarda de 13 anos morreu dentro da sua escola com um tiro de fuzil durante uma das intervenções da polícia militar em Abril do ano passado. Ou o próprio caso de Marielle que foi assassinada por denunciar a Intervenção Federal, e sua morte continua sem resposta há mais de 160 dias.

Enquanto existir a polícia para proteger os interesses da burguesia e impedir que a classe trabalhadora se erga contra os ataques dos governos não haverá um basta no genocídio do povo negro, o problema da violência social só será resolvido quando esses explorados e oprimidos garantirem sua própria proteção organizados em seus locais de trabalho, elegendo destacamentos que defenderão seus interesses contra os desmandos e a violência policial.




Tópicos relacionados

Intervenção Federal   /    negras e negros   /    Sociedade   /    Violência Policial   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar