Educação

ESCOLA SEM PARTIDO

Monitor da Doutrinação: jornal cria plataforma para perseguir professores

O portal Gazeta do Povo, rede virtual do principal jornal de Curitiba e do estado do Paraná, deu provas claras de que o Escola sem Partido não é um projeto de lei, mas um movimento explícito de perseguição, censura e constrangimento de docentes.

Chico Nery

Professor da rede pública de Campinas

quinta-feira 7 de dezembro| Edição do dia

Nessa quarta-feira, dia 6, lançaram em seu portal o MONITOR DA DOUTRINAÇÃO: uma plataforma digital que busca perseguir e expor com fotos e vídeos professores das escolas e universidades. Com nomes, fotos e cidades, esse grande meio de notícias incentiva a perseguição aos docentes, assim como se tornará co-responsável de futuras agressões que poderão ocorrer, como já vem acontecendo em diversas cidades do país.

Como podem ver, é uma plataforma com passo-a-passo, muito parecida com páginas como Escola Sem Partido e o MBL, para perseguir professores, expondo suas imagens e aulas sem nenhuma autorização.

Essa é a cara da grande mídia que apoia a Reforma da Previdência, a Reforma Trabalhista, a PEC que congela a verba para a saúde e a educação, a lei da terceirização. Querem uma cortina de fumaça nas escolas para que os jovens sigam calados. É do Paraná que teve 831 escolas ocupadas em luta pelos estudantes que vem a mídia que quer silêncio na sala de aula.




Tópicos relacionados

Escola sem partido   /    Educação   /    Professores

Comentários

Comentar