Cultura

POESIA

Moda?!

quinta-feira 21 de abril de 2016| Edição do dia

Moda!
Moda!
Moda?!

Moda é o caralho
Meu cabelo é armado
Nem vem encher o saco
Com esse seu palavreado

Sou Zumbi dos Palmares
Sou a preta de todos os lares
Sou a boca que agora se abre
Pra esfregar a minha identidade
Na cara da sociedade

Porque a mulher negra é ensinada desde criança como se comportar
É ensinada desde criança como se esbranquiçar

É imposto a ela um padrão
É imposto desde os tempos de escravidão

Ei tição...
Prenda a juba rei leão!
É impermeável ou não?
Assista, não tem ninguém igual a você na televisão!
Se olhe no espelho, está fora do padrão!

Puxe
Penteie
Prenda
Relaxe
Passe ferro
ALISE!

Você não tem opção
Glorifique a santa barbie
Ou aprenda com a Xuxa e o tchutchucão
Mas com boneca preta do cabelo duro, você não vai brincar, não!

Não, não, NÃO!

Duro era o pelourinho que sustentava o corpo torturado.
Duro era o chão da senzala, batido, que recebia o corpo exausto.

Por que tenho que ser princesa Isabel, se sou Dandara?!
Por que tenho que ser Nossa senhora das graças, se sou Santa Anastacia?!

Por que tenho que ser evangelho, se sou umbanda?!
Por que tenho que ser ballet se sou samba?

Por que tenho que ser branca se sou negra?
Por que tenho que ser lisa, se sou crespa?

E nessa imagem refletida no espelho, vejo mais que um rosto negro,
Vejo meus ancestrais, GUERREIROS, que morreram em luta, sem medo ou com medo
Para que eu, hoje, pudesse soltar o meu cabelo CRESPO!

Foto: Queila Rodrigues




Tópicos relacionados

Poesia   /    Cultura   /    Negr@s

Comentários

Comentar