Política

CRISE NO PLANALTO

Mobilização dos trabalhadores e crise política fazem relator suspender reforma trabalhista

Ricardo Ferraço, relator da reforma trabalhista em duas comissões do Senado, suspendeu o trâmite e não irá mais entregar parecer do projeto, depois do escândalo de Temer.

Odete Cristina

São Paulo

quinta-feira 18 de maio| Edição do dia

Nesta quinta-feira, 18, o relator da reforma trabalhista em duas comissões do Senado, Ricardo Ferraço (PSDB-ES), afirmou que suspendeu o trâmite e não irá mais entregar parecer do projeto conforme calendário previsto, pois segundo ele: "Na condição de relator do projeto, anuncio que o calendário de discussões anunciado está suspenso. Não há como desconhecer um tema complexo como o trazido pela crise institucional. Todo o resto agora é secundário”.

Em nota divulgada por meio de sua assessoria, o senador defende que é necessário priorizar uma solução para a crise, para só depois debater temas como a Reforma Trabalhista.

Essa decisão de Ferraço mostra como a burguesia vem tremendo diante da entrada em cena da classe trabalhadora, e como tentam a todo custo frear nossa mobilização, enquanto buscam uma saída pelas alturas para a enorme crise social e política que assola o país.

Agora mais do que nunca é necessário uma greve geral que possa derrubar Temer e impor uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana, questionando profundamente as bases desse regime podre e mudando as regras do jogo. Hoje centenas de milhares devem sair às ruas do país, ainda mais agora que Temer declarou que não renuncia, esses atos precisam ser parte do fortalecimento de Comitês de Base e assembleias em todos os locais de trabalho e de estudo para preparar esta greve geral, proporcionando uma auto-organização indispensável para que tomemos essa exigência às centrais e essa luta em nossas mãos.




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    Governo Temer   /    Política

Comentários

Comentar