Juventude

ESCOLA SEM PARTIDO

Mobilização derruba moção de apoio de vereadores ao Escola Sem Partido em caxias do sul

terça-feira 30 de agosto| Edição do dia

Nesta terça-feira, dia 30 de agosto, seria votada na câmara dos vereadores de Caxias do Sul uma moção de apoio ao Escola Sem Partido, projeto que limita a democracia e o debate em sala de aula e censura o professor de forma que ele não possa falar de assuntos como direitos das mulheres, religiosidade e debates sobre a sociedade como ela é.

Essa moção foi proposta pelo vereador Guila Sebben (PP), figura fascista e reacionária que esteve ao lado das ofensivas e atos violentos da associação Pais do Bem no Cristóvão, e que em conluio com outros fascistas como o deputado Marcel Van Hattem, também do PP, defende a perseguição dos estudantes que ocuparam suas escolas.

Os vereadores já deram início à sessão rompendo a laicidade, condição básica do Estado: "sob a proteção de Deus, damos início a essa sessão".

Cerca de 20 vinte pessoas foram à câmara apoiar a moção. Até tentaram começar uma briga com os que foram protestar contra.

No final das contas, mais de 100 pessoas, em sua grande maioria estudantes da escola estadual Cristóvão de Mendoza, da UCS e de outros lugares, organizaram um ato contra a moção de apoio. A força da mobilização conseguiu obrigar o vereador do PP a retirar sua proposta inicial, mostrando que a luta é capaz de impor derrotas a esses setores de direita, ainda que parciais.

Guila, ao final de tudo, complementou dizendo que pretende levar a moção de apoio novamente à câmara. Daí a necessidade de se manter a mobilização e organizar ainda mais estudantes, professores e trabalhadores, para que a luta contra o escola sem partido e a direita continue com mais força




Tópicos relacionados

Escola sem partido   /    #OCUPATUDO   /    Ocupação Escola   /    Caxias do Sul   /    Juventude

Comentários

Comentar