Política

ELEIÇÕES 2018

Ministro do TSE proíbe autoritariamente propaganda de rádio do PT que apresenta Lula

segunda-feira 3 de setembro| Edição do dia

O ministro Luís Felipe Salomão, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), proibiu o PT de veicular a propaganda eleitoral transmitida em rádio no sábado (1º) em que Lula aparece como candidato.

Ele determinou multa de R$ 500 mil para cada propaganda eleitoral veiculada no rádio em desconformidade com a decisão do TSE, que, na madrugada de sexta para sábado, barrou a candidatura do petista com base na Lei da Ficha Limpa. A corte decidiu que o PT pode manter seus programas eleitorais, desde que não apresente Lula como candidato.

O autoritarismo judiciário intervém politicamente com todas as cartas para que essas eleições sigma manipuladas. Juízes decidem em quem se pode votar ou não, numa tirania togada.

Em manifestação enviada ao tribunal, o PT afirma que como a sessão sobre o registro da candidatura de Lula terminou de madrugada, a "substituição imediata dos materiais de propaganda, especialmente aqueles enviados para o horário eleitoral gratuito, era tecnicamente inviável".

"Ainda assim, logo após a decisão toda a equipe envolvida na propaganda da chapa presidencial reuniu esforços para regularizar as propagandas ainda durante a madrugada", escreveram os advogados do partido.

"Ocorre que diversas emissoras, por telefone, informaram que não possuem pessoal disponível para realizar os procedimentos necessários para as trocas, que esses funcionários são chamados à emissora aos fins de semana somente quando a emissora recebe notificação judicial expressa para realizar troca de propagandas e, não havendo notificação judicial destinada à emissora, o pedido de substituição fora do prazo previsto para isso não seria aceito", acrescentaram.

"Não havia, obviamente, nas menos de 4 horas da madrugada de sábado, disponibilidade técnica ou humana para que fossem feitas novas produções, partindo do zero, sendo que a solução encontrada para cumprimento imediato foi a edição dos materiais já existentes para tirar todos os pedidos de voto para este manifestante e, mesmo feito isso, há que se contar também com a possibilidade de troca nas emissoras responsáveis", acrescentaram.

Diana Assunção, candidata a deputada federal pelo MRT em SP, disse que "O TSE veta autoritariamente o registro da candidatura de Lula nas eleições. É um absurdo autoritário cada uma das medidas desse judiciário golpista e privilegiado impedir que o povo possa votar em quem quiser, vetando a candidatura de Lula. Não apoiamos o voto em qualquer das candidaturas do PT. O PT governou ao lado de políticos e empresários golpistas, assumiu métodos de corrupção próprios do capitalismo e implementou ataques quando governou, principalmente no segundo mandato do governo Dilma. Mas não podemos fechar os olhos ao avanço da direita golpista: defendemos incondicionalmente o direito de Lula se candidatar e ter sua campanha veiculada na televisão, somos intransigentes na defesa do direito do povo votar em quem quiser".




Tópicos relacionados

Prisão de Lula   /    Lula   /    Política

Comentários

Comentar