Sociedade

SAÚDE

Ministro da Saúde de Temer quer aumentar os planos de saúde depois de 60 anos

sexta-feira 6 de outubro| Edição do dia

O Ministro da Saúde de Temer, Ricardo Barros, defendeu nesta quinta-feira novas regras para os planos de saúde no país. Atualmente, de acordo com a lei do idoso, não é permitido aumentar os valores das mensalidades dos planos de saúde para pessoas de mais de 60 anos. A nova regra defendida por Barros é de criar um escalonamento no aumento das mensalidades.

O argumento utilizado para defender tal medida foi o de adequação ao mercado: “da forma como está, esse tipo de plano saiu do mercado”.

Uma outra medida defendida por Barros foi a alteração dos reajustes de planos de saúde individuais. Atualmente o reajuste é determinado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar e opera com reajustes baixos. De acordo com Barros, essa realidade leva aos empresários dos planos de saúde a deixarem de ofertar esse formato.

Na onda de mudanças, Barros ainda defendeu a redução das multas aplicadas contra os operadores de saúde e a forma como hoje é feito o ressarcimento de atendimentos feitos a usuários na rede pública: “entendemos com absoluta clareza que o SUS é direito de todos os cidadãos, mas a Constituição fala no limite da capacidade contributiva do cidadão, o que leva também a uma capacidade limitada para atender as demandas.”

Em suma, tratam-se de mudanças que vão de encontro aos interesses dos grandes operadores de planos de saúde que lucram com a saúde da população. No caso os mais afetados são justamente aqueles que mais necessitam, a população idosa de nosso país. Quem sai ganhando são os empresários. Trata-se de mais um capítulo do golpe que vem retirando direitos e descarregando a crise nas costas da população para atender os interesses privados.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Sociedade   /    Saúde

Comentários

Comentar