Política

Ministro da Cidadania de Bolsonaro vem do governo Temer com lista de ataques no currículo

Osmar Terra (MDB), ex-ministro de Temer, é anunciado para o Ministério da Cidadania. Nova pasta que reunirá Desenvolvimento Social, Esporte e Cultura, e de acordo com o futuro ministro, parte da Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas (Senad), que cuida do tratamento de pessoas que fazem uso abusivo de álcool e outras drogas, também será submetida à pasta.

sexta-feira 30 de novembro| Edição do dia

A informação foi divulgada pela assessoria do governo de transição na última quarta-feira (28).

http://esquerdadiario.com.br/Revirando-o-antro-golpista-Bolsonaro-nomeia-ex-ministro-de-Temer-para-Ministerio-da-Cidadania

https://twitter.com/MichelTemer/status/1067922993244975105

O político ficou no ministério, responsável pelo programa Bolsa Família, até abril deste ano, quando foi exonerado para disputar a eleição. Na pasta, dedicou-se a combater supostas “fraudes no pagamento do benefício”, onde o governo cancelou 4,7 milhões de pagamentos.

Também como ministro, Osmar Terra promoveu “um pente-fino nas aposentadorias” por invalidez e nos auxílios-doença pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Em dois anos, mais de 450 mil benefícios foram cortados após perícias.

http://www.esquerdadiario.com.br/Cortes-do-governo-em-aposentadoria-por-invalidez-e-auxilios-doenca-ja-somam-quase-R-10-bi

No ano passado, ele foi autor da proposta de mudança na Política Nacional de Saúde Mental que suprimiu a política de Redução de Danos. O ministro defende a abstinência no combate às Drogas: um modelo manicomial, caro, ineficaz e condenado internacionalmente por ferir os Direitos Humanos.

A postura do Ministério da Saúde e dos políticos que aprovaram as medidas, diante das críticas e questionamentos acerca das mudanças mostra que de Temer a Bolsonaro o que está em questão são os interesses da indústria da loucura, uma vez que todas as medidas garantem, sobretudo, um mercado ainda mais lucrativo, uma verdadeira mina aos donos da tarja preta.

Fala-se aqui de uma política que mata e encarcera milhares de negros e negras com a guerra às drogas, com a intervenção militar, enquanto mantém sem nenhum tipo de punição quem de fato financia a droga no país com transporte em helicópteros. Nenhum dos que apoiaram essas mudanças na verdade estão preocupados com a saúde e o cuidado de quem precisa da saúde pública. Estão apoiados numa política higienista, racista, machista, Lgbtfóbica, medicalizante, cara e manicomial.

http://www.esquerdadiario.com.br/Ministerio-da-Saude-aprova-retrocessos-na-Politica-Nacional-de-Saude-Mental

Enquanto isso, no mesmo período de cortes no Bolsa Família e INSS, segundo dados do Ministério da Fazenda em reportagem divulgada pela Folha de S. Paulo, os subsídios governamentais destinados às empresas superaram os subsídios aos programas sociais. A fatia destinada às empresas representou mais da metade do valor total só em 2016 e 2017. Por que motivo os capitalistas cortam de direitos sociais em meio a crise e não pagam do próprio bolso o prejuízo que criaram?

Em meio a crise, bancos têm maior lucro trimestral desde 2006. Os quatro maiores bancos no Brasil com ações na bolsa (Banco do Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco e Santander) tiveram seu maior lucro trimestral desde 2006, ano dos primeiros dados registrados pela empresa financeira Economatica.

http://www.esquerdadiario.com.br/Em-meio-a-crise-bancos-tem-maior-lucro-trimestral-desde-2006

Enquanto nosso salário diminui e nossos direitos privados, câmara aprova aumento dos salários de parlamentares, ministros e presidente da República. Com a aprovação do projeto, deputados, senadores, presidente da República, vice-presidente e ministros de Estado passam a ter salários equiparados aos dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e, assim, passam a receber o teto salarial.

O circo de horrores que está sendo o anúncio dos Ministérios de Bolsonaro, deixa nítido para quem será o governo. O futuro presidente, vem aprofundar ainda mais os ataques de Temer e às Reformas. Um governo que não é para os mais pobres. Uma política pautada nas convicções morais e religiosas da sociedade burguesa, uma enorme fábrica de produção de verdades que serve para isto: manter o capitalismo e enriquecer cada vez mais a burguesia. QUE OS CAPITALISTAS PAGUEM PELA CRISE!

Por uma força anti-imperialista da classe trabalhadora contra os planos de Bolsonaro, dos Golpistas e o Autoritarismo judiciário!




Tópicos relacionados

Bolsonaro   /    Reforma da Previdência   /    Reforma Trabalhista   /    Política

Comentários

Comentar