Economia

CRISE RJ

Ministério da Fazenda vetou R$1 bilhão para pagamento de aposentados no RJ

quarta-feira 22 de junho de 2016| Edição do dia

O governo do Rio desistiu em maio de um empréstimo de R$ 1 bilhão do Banco do Brasil após sofrer resistências no Tesouro Nacional para aprovar a operação.

Entretanto, o governo federal aprovou empréstimo de R$3 bilhões para que o RJ "assegure as Olimpíadas".

Os recursos seriam usados para capitalizar o Rioprevidência e ajudar a pagar aposentados e pensionistas. O empréstimo havia sido aprovado pelo Senado para compensar a queda na arrecadação nos royalties do petróleo e participações especiais.

O total aprovado era de R$ 3,5 bilhões, mas o Rio optou por pedir inicialmente apenas uma parte –R$ 1 bilhão.

O aporte era apontado pelo governo estadual como uma das tábuas de salvação para tentar manter em dia os salários de servidores e aposentados. O vencimento de maio está em atraso.

A despesa total do Rioprevidência deste ano é de R$ 20 bilhões. Há um buraco de cerca de R$ 12 bilhões no fundo.

O Estado ainda tem um pedido de empréstimo de R$ 989 milhões do BNDES pendente de aprovação no Tesouro. Contudo, o Rio não pode firmar novas operações de crédito por ter dado calote de uma parcela da Agência Francesa de Desenvolvimento.

A dívida pública é a primeira coisa a ser paga nos orçamentos dos estados, municípios, que o transferem parte de seu orçamento diretamente para a União, servindo para enriquecer os bancos que detém os títulos desta dívida. Este meio de enriquecimento ilícito conta com toda a casta política, legislativo, executivo e judiciário, para garantir que ela seja paga. Por este meio, tanto o governo federal quanto o do estado do RJ buscam justificar a austeridade imposta aos aposentados e pensionistas, às áreas da saúde e educação.




Tópicos relacionados

Economia nacional   /    Economia

Comentários

Comentar