Política

ELEIÇÕES 2018

Ministério Público de SP denuncia Haddad, "sem provas mas com convicção" golpista

Mesmo tendo Haddad e o PT tentado um novo pacto de reconciliação com as finanças e setores do golpismo, Ministério Público segue a perseguição às candidaturas petistas: "Tudo o que atrapalhar o PT é bom pro mercado", na opinião de corretores das finanças.

quarta-feira 5 de setembro| Edição do dia

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, provável substituto de Lula na chapa do PT à Presidência, foi denunciado pelo Ministério Público de São Paulo sob acusação de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Segundo o promotor Marcelo Mendroni, ele recebeu R$ 2,6 milhões em propina da empreiteira UTC para pagamento de dívidas da campanha de 2012. A informação foi publicada primeiro no jornal O Estado de S. Paulo.

A denúncia tem como base as delações de Ricardo Pessoa e Walmir Pinheiro, da UTC, e do doleiro Alberto Youssef, além de investigação da Polícia Federal sobre suspeitas de lavagem de dinheiro e caixa dois na primeira campanha de Haddad à prefeitura.

No último dia 28, a Promotoria de Patrimônio Público de São Paulo propor ação civil de improbidade contra Haddad pelo mesmo caso. O ex-prefeito já responde na Justiça Eleitoral pela suposta prática do crime de caixa dois, também pela mesma situação.

Trata-se de uma clara perseguição política depois do veto do TSE à candidatura de Lula, para que o curso das eleições siga sendo manipulado pelo judiciário golpista, e também pelos mercados. O dólar anulou a alta frente ao real vista nos últimos dias, decaindo 0,30, com os investidores reagindo à denúncia do Ministério Público de São Paulo. “Tudo o que atrapalhar o PT neste momento é bom para o mercado”, afirmou um profissional da mesa de câmbio de uma corretora local, cinicamente.

Embora não aponte contrapartida de Haddad ao pagamento da UTC, o promotor Mendroni afirma que havia uma "perspectiva de contrapartida" do petista. Sem provas, mas com gratas convicções, como ensinam os juízes "made in USA" como Moro e Dallagnol.

"Para que a UTC, uma empreiteira, vai pagar uma dívida de campanha do prefeito se não tivesse a perspectiva de receber algo em troca? Para que ele ia pedir para a UTC pagar uma dívida de campanha dele se ele não tivesse a perspectiva de que com o peso do cargo de prefeito podia ajudar de alguma forma durante os quatro anos que viriam?", questionou o promotor.

Estas perseguições a Haddad, depois do veto a Lula, são parte do hiperativismo do judiciário para digitar as coordenadas das eleições, de acordo com os interesses da Lava Jato.

Lula e o PT certamente já mostraram, como nos anos de governo da Dilma, que o que dita sua política de governo é a aliança com a direita e com os capitalistas, que abriu o caminho ao golpe institucional, assimilando a corrupção própria dos capitalistas, e implementando ajustes duros, especialmente no segundo mandato de Dilma. Inclusive aos juízes, fortalecidos pelos governos do PT, e Lula que aprovou a Lei Ficha Limpa. O PT já mostrou que não é alternativa nenhuma ao combate à direita: mesmo dirigindo a maior central sindical do país (CUT), a utiliza para frear as lutas dos trabalhadores, como acaba de fazer traindo a mobilização dos bancários. Este "mal menor", levou rapidamente ao pior, ao golpe e ao fortalecimento da extrema direita.

Por isso, o Esquerda Diário não apoia o voto no PT, e sim busca construir uma força material anticapitalista dos trabalhadores, que supere a trágica conciliação de classes petista. Entretanto, isso não nos leva a deixar de ver o avanço do autoritarismo judiciário e da direita golpista sobre os últimos vestígios de soberania popular, com seu ódio profundo pelos trabalhadores e a esquerda.




Tópicos relacionados

Prisão de Lula   /    PT   /    Lula   /    Política

Comentários

Comentar