Cultura

ÁUDIO-VISUAL

Minha escola, Minhas Regras: documentário sobre as ocupações em 3 estados começa ser editado e busca fundos em financiamento coletivo

Documentário dirigido por Nivek D’arc sobre a escolas ocupadas do Brasil e produzido com baixíssimo orçamento começa a ser editado.

sexta-feira 5 de agosto| Edição do dia

No dia 9 de novembro de 2016 o colégio CEFAM em Diadema no ABC Paulista é ocupado pelos estudantes, inspirado nisso o cineasta Nivek D’arc parte rumo as ocupações mergulhando em seu cotidiano visitando diferentes escolas nos mais diversos lugares de São Paulo, acompanhando desde o começo as ocupações, registrando a criação do comando das escolas ocupadas e o germe da ocupação do Centro Paula Souza. Com seu fim no estado de São Paulo rumou ao Rio de Janeiro, visitando ocupações no Méier, Ilha do Governador e Tijuca e logo após ao Rio Grande do Sul, onde acompanhou as ocupações em POA e sua zona metropolitana, presenciou a criação do CEI (Comitê das Escolas Independentes) e a ocupação da Secretaria da fazenda do Rio Grande do Sul onde foi preso juntamente com estudantes, e jornalistas.

Depois de cerca de 9 meses de trabalho, o documentário finalmente começa a ganhar formato, produzido de forma independente, busca angariar fundo pra sua produção pela plataforma catarse, e também acaba de lançar seu teaser final! O qual pode ser conferido abaixo:

TEASER FINAL "Minha escola, Minhas regras. from Nivek D'arc on Vimeo.

O documentário aborda diversos aspectos da realidade dos estudantes que ocuparam suas escolas, desde o cotidiano como organização da cozinha, limpeza e segurança até suas organizações politicas, atos e demais ocupações. Começando por São Paulo na luta contra o projeto de reorganização escolar, que caracterizava-se como um verdadeiro plano de austeridade do governo paulista de Geraldo Alckmin visando demitir professores, fechar escolas e superlotar salas, desta forma precarizando ainda mais a educação pública com cortes drásticos de verbas. Como resposta, o movimento ocupou mais de 200 escolas em todo estado, ocupando mais tarde também Centro Paula Souza (centro administrativo da escolas técnicas de São Paulo), o documentário segue ao Rio de Janeiro, na luta dos estudantes junto aos professores grevistas reivindicando reformulação da grade escolar, não ao sucateamento do ensino público e melhores condições ao professores e por fim o Rio Grande do Sul na luta por melhores condições de ensino e qualidade, fim da PL 44/2016, que visava privatização de vários setores de serviços públicos e a PL 190 também apelidada de “Escola sem partido”, projeto de lei que busca punir professores com posicionamentos políticos e criminalizar o ensino de disciplinas que abordam a história dos movimentos sociais e as tradições do pensamento social e político, como história, geografia e sociologia ocasionando assim, um debilidade no senso critico do aluno, a luta dos estudantes foi travada lado a lado a professores que se levantavam contra o parcelamento de salário imposto pelo governador Sartori, foram ocupadas mais 120 escolas ocupadas no estado todo, e também a secretaria da fazenda onde foram preso cerca de 46 estudantes, o Jornalista Gabriel Chaparini e o cineasta Nivek D’arc.

O documentário tem a previsão lançamento em novembro de 2016, mesmo mês que as ocupações iniciaram a um ano, levando a frase: “Os estudantes tem algo a dizer, ajude-os a serem ouvidos” o registro promete ser muito importante pra história e pra memória do maior levante secundarista da história atual da política Brasileira, vale a pena contribuir e acompanhar o projeto.




Tópicos relacionados

Documentário   /    Cultura   /    Juventude

Comentários

Comentar