Educação

GOVERNO WITZEL

Militarização no ensino: Witzel quer colocar PMs armados dentro das escolas

O governo de extrema direita do estado do Rio de Janeiro, governado por Wilson Witzel (PSC), planeja a inserção de policiais militares armados nas escolas da rede pública. A medida poderá ser implementada em julho e será custeada com recursos da Secretaria de Educação.

segunda-feira 11 de fevereiro| Edição do dia

O governo do estado do Rio de Janeiro planeja a inserção de policiais militares armados nas escolas da rede pública. A medida poderá ser implementada em julho e será custeada com recursos da Secretaria de Educação. Inicialmente a ideia é aplicar a medida em 40 escolas. Pedro Fernandes, o secretário da educação, afirma que o pedido veio de diretores da rede de ensino.

Rogério Figueiredo, secretário da PM, declarou que o objetivo é estreitar laços entre os policiais e os alunos, porque “é importante que uma criança ou um adolescente tenha como referência a figura de um policial”. Enquanto o argumento para essa mudança é “reforçar a segurança de alunos, professores e servidores administrativos”, o estado do RJ é um dos que mais tem mortes causadas por policiais militares: em número absoluto é a que mais mata (1127 mortos) e tem a segunda maior taxa do país (6,7 mortes a cada 100 mil habitantes). Inclusive uma estudante de 13 anos já foi morta dentro da escola por um disparo de um policial, em 2017, enquanto acontecia um tiroteio, na Escola Municipal Jornalista Daniel Piza.

A proposta reacionária já gerou controvérsias com aqueles que trabalham diariamente com o ensino, que defendem que o reforço da segurança deve ser feito por profissionais da educação, como inspetores e também por porteiros, não depositando confiança na presença de policiais militares dentro do ambiente escolar. A medida é consoante com as declarações dadas - em 2018 - pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o governador Wilson Witzel (PSC), ambos de origem militar, que já falavam em militarizar o ensino.

A extrema direita quer avançar implantando um modelo de educação que imponha aos professores e estudantes as concepções, valores e normas da instituição militar. Assim como em reprimir e vigiar os educadores e os alunos.




Tópicos relacionados

Wilson Witzel   /    Extrema-direita   /    violência policial   /    Educação   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar