CAMPINAS CONTRA BOLSONARO

Milhares marcharam nas ruas de Campinas para combater Bolsonaro

Um forte ato de rechaço a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) foi às ruas na cidade de Campinas, denunciando os atentados recentes da extrema-direita contra trabalhadores, travestis, negros, mulheres e estudantes.

sábado 20 de outubro| Edição do dia

O ato realizado na manhã deste sábado em Campinas foi convocado sob a consigna do #EleNão, Mulheres Contra Bolsonaro, mas que agregou diversos setores, desde a universidade, jovens da cidade, secundaristas e trabalhadores.

Os estudantes da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) compuseram o ato como parte da programação votada nos comitês organizados dentro da universidade, fruto de dias de paralisação, campanha e métodos de luta contra a extrema-direita. Na semana passada, diversos cursos paralisaram alguns dias e decidiram por repetir as paralisações indicando dois dias na última semana antes das eleições.

Além disso, setores organizados, coletivos de esquerda, compuseram blocos na manifestação. Dentre estes, a juventude Faísca e o grupo de mulheres Pão e Rosas compuseram o ato colocando um forte chamado a construção de comitês de mobilização em cada local de trabalho e estudo, exigindo que a UNE e as centrais sindicais do PT e do PCdoB cumpram com a sua responsabilidade de organizar comitês espalhados por todo o país.

Essa marcha expressou uma grande energia potencial para se gerar uma força militante que se opunha a virulência da extrema-direita, que aposta nos métodos de combate. Nesse momento de eleições essa grande energia poderá se transformar em organização de base, via comitês e comandos, que preparem o combate a extrema-direita para além do resultado do segundo turno.




Comentários

Comentar