GREVE DOS PROFESSORES NO RS

Milhares de professores em greve realizam ato contra Sartori em Porto Alegre

Nessa terça-feira, 19, ocorre um grande ato no centro da capital, contra o parcelamento de salário dos professores efetuado pelo governo de Sartori (PMDB). Além de demonstrar a grande disposição de luta e adesão à greve da categoria, a mobilização também deixou claro que a luta dos educadores vem ganhando cada vez mais apoio popular.

terça-feira 19 de setembro| Edição do dia

Ocorre na manhã dessa terça-feira, 19, em Porto Alegre um grande ato dos professores contra os ataques do governo Sartori. Os educadores do Rio Grande do Sul estão em greve desde de o dia 5 desse mês contra o vigésimo primeiro parcelamento salarial que sofrem. No último mês apenas 350 reais foram pagos aos professores, ao passo que o governo do estado já falou acerca da possibilidade de que haja um encontro de folhas salarias, ou seja, de que o salário siga atrasado por mais de um mês.

Diante disso, a greve continua no Rio Grande do Sul, ganhando cada vez mais adesão por parte da categoria e, também, de outros setores da sociedade. O ato de hoje é uma mostra disso, uma vez que além dos mais de dois mil trabalhadores da educação ali presentes, havia também uma presença marcante de estudantes. Durante a caminhada houve inúmeras demonstraçoes de apoio à luta e à greve por parte da população, demonstrando que a mobilização está sim ganhando o apoio popular.

O ato partiu da sede do CPERS e cruzou o centro da capital, por todas as principais vias. Deteve-se por simbólicos 21 minutos (referência ao vigésimo primeiro parcelamento) em frente à Secretaria da Fazenda do estado, cujo discurso permanece sendo o de jogar o peso da crise do estado sobre os ombros dos educadores. Em seguida o ato dirigiu-se à Matriz, em frente ao Piratini, demonstrando toda a indignação da categoria contra o governo de Sartori, que segue afastado por stress, sinalizando que não tem disposição alguma de dialogar com a categoria.

Na próxima quinta-feira haverá uma reunião do comando de greve estadual com a Sefaz e a Seduc. É necessário que o CPERS mova uma grande mobilização, abrindo as portas do comando para todos os educadores que quiserem construir a luta e levando educadores de todo o estado para pressionar o governo. No dia 29, sexta-feira, o sindicato chama uma ação unificada com outras categorias. É necessário que essa ação seja construída com força nos próximos dias, em todos os espaços possíveis, seja de trabalhadores, seja da juventude. É necessário cercar de solidariedade e apoio a greve dos educadores do RS e transformá-la numa grande luta de toda a sociedade. A luta dos educadores do RS é a luta de todos os trabalhadores.




Tópicos relacionados

Rio Grande do Sul   /    Sartori   /    Greve Professores RS   /    Educação   /    Crise gaúcha   /    Professores

Comentários

Comentar