Política

CANDIDATURAS ANTICAPITALISTAS

Meu voto é seu e vou buscar mais! Depoimentos de uma campanha militante em São Paulo

Trabalhadores e juventude se entusiasmam com a campanha de Diana Assunção para vereadora em São Paulo.

segunda-feira 5 de setembro| Edição do dia

Tem chegado ao comitê de campanha de Diana Assunção diversos relatos sobre as panfletagens realizadas de norte à Sul na capital paulista. Para os jovens secundaristas da periferia da Zona Norte é muito bom saber que existe uma candidata que defenda que todo político ganhe como uma professora. Os privilégios dos políticos causam indignação quando comparados ao de seus professores. A legalização da maconha e das drogas é outro tema importante para essa juventude.

Para Rosemary Ortega, trabalhadora da FFLCH-USP “: Apoiar a candidatura da Diana nos fara sair dessa ressaca do golpe”. O posicionamento de Diana e do MRT contra o golpe institucional que colocou Temer no poder, sequestrando os votos de milhões de brasileiros, e ao mesmo tempo se delimitando do PT que quer a volta de Dilma, agradou muitos trabalhadores que perceberam que o impeachment está a serviço de atacar ainda mais os trabalhadores com ajustes ainda mais duros do que o PT vinha fazendo.

Companheiros de trabalho de Diana também reforçaram o apoio. “Trabalho com Diana vou votar nela!”. “Vou votar em você será muito legal alavancar essa proposta dos salários” (se referindo à campanha Que todo político ganhe o mesmo que uma professora ). O vídeo que mostra a mansão de João Dória Jr, denunciando a situação de moradia em São Paulo também causou bastante impacto.

A campanha também ganhou peso em professores. O vídeo de mulheres contra o machismo e o capitalismo agradou bastante. “Tem que ser assim mesmo, política governada por mulheres firmes”, colocou um professor morador da zona norte. Professores da Zona Oeste também panfletaram na feira do Jaguaré, que acontece todo domingo, e foram muito bem recebidos.

Os vídeos produzidos na campanha têm feito sucesso. Vários comentários elogiaram a produção e o conteúdo. A denúncia à condição de trabalho dos atendentes de telemarketing também foi marcante para muitos. Marco Antônio, morador de Guaianazes na zona leste lembrou: “É um pessoal carente de candidatos, e tem muita empresa de telemarketing aqui!”

Por whatsapp também chegaram apoios e pedidos de material. Rafael enviou: “Oi Diana sou metroviário e da ZN vi que tá rolando umas panfletagens por lá, disponibiliza o material aí”. Leandro Aguiar, mandou um artigo escrito por ele, publicado no site Escola dos Communs que coloca:

“Não basta ser negra, não basta ser mulher, não basta ser trabalhadora e Diana mostra com sua atitude que o que faz diferença e o que a faz diferente é justamente o recorte de classes que estabeleceu no início de sua trajetória e ela vem referendada por sua própria corrente, uma organização forjada nas bases sindicais e populares e com práticas condizentes com o seu discurso onde fiz amigos que fiz não no boteco ou na festa de final de ano da “firma”, mas pessoas que conheci na luta contra as opressões ou em greves como a greve de professoras e professores do estado de São Paulo do ano passado que durou 92 dias, a Diana e o MRT estavam lá por isso tem meu respeito, e agora o meu apoio que evidentemente não vem sem contrapartida.”

As candidaturas anticapitalistas estão a todo vapor! Mandem seu depoimento para o Esquerda Diário contando o que está achando das campanhas em São Paulo, Santo André, Campinas, Contagem e Rio de Janeiro!




Tópicos relacionados

Eleições 2016   /    Eleições São Paulo   /    Política

Comentários

Comentar