Mundo Operário

DEMISSÃO ARBITRÁRIA METRÔ SP

Metroviário da manutenção sofre assédio moral e é demitido injustamente

Empresa comete assédio moral e demite arbitrariamente trabalhador da manutenção do Metrô de SP.

quarta-feira 10 de agosto| Edição do dia

Almir Coqueiro, Oficial de Manutenção do GMT/MTV/CCV, sofreu assédio moral pela supervisão e em seguida é demitido injustamente, na última quarta-feira (03/08).

Em assembleia da categoria realizada hoje (10/08) Almir relatou o que aconteceu (veja vídeo abaixo), foi votada uma moção de repúdio contra a demissão e encaminhado uma mobilização, dando continuidade ao abaixo-assinado que já está sendo passado na categoria, além de setoriais dos trabalhadores no próximo dia 16 em todas as áreas. Caso o Metrô não retroceda até dia 16 na sua ação os trabalhadores discutirão a proposta de paralisação de todos os setores da manutenção.

Guarnieri, operador de trem da Linha 1, se solidarizou com Almir e levantou a necessidade de no dia 16 a mobilização contra a demissão se estender para as outras áreas da operação do Metrô.

Para Francielton, Oficial de Manutenção do Bloco A do PAT, falou sobre a mobilização: "No dia 16 as centrais estão chamando um dia mobilização contra a reforma da previdência e os ajustes de Temer. Os trabalhadores nesse dia devem se incorporar à mobilização com um posição independente, denunciando a paralisia das centrais golpistas, como a Força Sindical e de outras centrais como a CUT e CTB, que defendem o "volta Dilma". Nesse dia nos metroviários participarão contra os ataques aos trabalhadores e a privatização do Metrô, mas temos como primeira tarefa garantir a paralisação de toda a manutenção pela readmissão do companheiro Almir. Esse chamado que faço para todos os companheiros metroviários, para não deixarmos passar essa absurda arbitrariedade da empresa".




Tópicos relacionados

Metrô   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar