Metrô no DF libera catracas por falta de trabalhadores

O desmonte do transporte público no Distrito Federal chegou ao ponto de não ter funcionários para vender as passagens do metrô, que teve as catracas liberadas em várias linhas, dentre elas a 108 Sul. O projeto de precarização visa a privatização de servições públicos.

quinta-feira 24 de agosto| Edição do dia

Foto: Marcelo Ramos/ Especial para o CBPress

O desmonte do Metrô do Distrito Federal caminha a largos passos. Nos postos de cobradores não há trabalhadores para atender aos passageiros que querem comprar a passagem, e as catracas foram liberadas em várias estações, como na 108 Sul.

Mas sabemos que essa estratégia por parte da empresa, controlada pelo Governo do Distrito Federal, não significa um "passe livre", pelo contrário, representa a destruição do transporte público no DF e visa a privatização desses serviços, não tem nada de positivo para a população, que acaba pagando a conta no final.


Foto: Marcelo Ramos/ Especial para o CBPress

Com a falta de trabalhadores nos postos de bilheteria, o rombo provocado no caixa do Metrô é coberto, todos os anos, pelos contribuintes. Por esse motivo, os passageiros, ao invés de ficarem satisfeitos com a liberação das catracas, se indgnam diante da situação de desmonte vivenciada no transporte metroviário no DF.

Os passageiros relatam ainda que os trens, por falta de manutenção, têm parado constantemente, atrasando viagens e resultando em superlotação.

É inaceitável esse descaso com a população que depende dos transportes públicos para ter acesso a cidade, ir ao trabalho, hospitais e opções de lazer. Por isso, é necessário lutar por um transporte cem porcento público e que seja controlado pelos trabalhadores e usuários, pra que ele esteja a serviço das nossas necessidades e não dos lucros dos grandes empresários.




Tópicos relacionados

precarização   /    Privatização   /    Metrô

Comentários

Comentar