Política

GOVERNO BOLSONARO

Mesmo sendo ilegal, Bolsonaro autoriza a mineração dentro de território indígena

sexta-feira 27 de novembro de 2020| Edição do dia

Foto: SERGIO LIMA/AFP

Seguindo sua política de destruição da Amazônia e ataques aos povos indígenas, a agência nacional de mineração (ANM) a mando do Bolsonaro, aprovou cerca de 58 requerimentos de pesquisa ou lavra de minério em terras indígenas. Mesmo a atividade sendo proibida, Bolsonaro não poupa esforços para beneficiar mineradoras estrangeiras, que visam apenas o lucro e causam devastação ambiental por onde passam.

A empresa Anglo Americana Níquel, recebeu 27 permissões para pesquisar cobre em áreas sobrepostas a terras indígenas, sendo a empresa que mais recebeu permissões. Em entrevista para O Globo, Cláudio Maretti, vice-presidente da Comissão Mundial de Áreas Protegidas e ex-presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), os impactos para os grupos indígenas que vivem nessas áreas são gigantescos. Existem danos aos direitos, porque é ilegal; impactos sociais, com aumento também da prostituição e doenças; e provável degradação da natureza, gerando consequências para as interações das comunidades tanto culturais quanto de sobrevivência, com possível impacto à caça e à pesca — afirma, e acrescenta: — Se a atividade for mal feita, ainda há o risco de contaminação dos rios pelo mercúrio, que afeta principalmente as populações que se alimentam dos peixes.

Mesmo sendo ilegal constitucionalmente, Bolsonaro e seu governo de extrema direita avançam para atacar os povos indígenas em benefício de grandes aglomerados capitalistas que exploram as terras sem nenhuma responsabilidade social e ecológica.




Tópicos relacionados

Mineração   /    Governo Bolsonaro   /    Indígenas   /    Povos indígenas   /    Política

Comentários

Comentar