Sociedade

GUERRA ÀS DROGAS

Menino de 5 anos é baleado na Zona Norte do Rio; já é a segunda criança alvejada apenas neste ano

terça-feira 28 de janeiro| Edição do dia

Arthur Gonçalves Monteiro, de 5 anos, levou um tiro na cabeça na noite de ontem, segunda (27), acompanhando o pai em uma partida de futebol no Engenho Novo, Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro. Arthur está em estado grave no Hospital Salgado Filho.

Tudo aconteceu devido a uma troca de tiros entre policiais da UPP e pessoas envolvidas com tráfico. O pai Paulo Roberto Monteiro se jogou por cima do filho para protegê-lo e acabou sendo atingido na mão, que foi atravessada e a bala ficou alojada na cabeça de Arthur.

Arthur já é a segunda criança vitimada pelo conflito que o suposto combate à violência e às drogas causa no RJ este ano. No dia 10, Anna Carolina Souza Neves, de 8 anos, faleceu depois de ser atingida na cabeça no sofá de sua própria casa, em Belford Roxo. Numa demonstração de como é a juventude negra quem segue no fogo cruzado da guerra às drogas, ou é o próprio alvo das operações policiais.

Leia mais: Criança de 8 anos é nova vítima da política de segurança assassina do Rio, quantas mais precisarão morrer?

A culpa é de Witzel, governador do Rio de Janeiro, Crivella, prefeito da capital carioca, e sua polícia, que têm as mãos sujas de sangue de crianças reféns da violência das operações policiais no Rio de Janeiro, como aconteceu com Ágatha Félix, que foi assassinada pela polícia em momento que não havia sequer confronto.

Nós do Esquerda Diário nos solidarizamos com a família de Arthur e exigimos investigação independente para que os culpados sejam punidos.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    violência policial   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar