Política

ELEIÇÕES 2018

Meirelles doa R$ 20 mi para sua campanha, autofinanciamento é fato entre os candidatos capitalistas

quinta-feira 23 de agosto| Edição do dia

Quinto candidato mais rico do País nas eleições deste ano, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB) fez uma doação de R$ 20 milhões para a própria campanha à Presidência da República.

Esta é a primeira eleição geral em que os candidatos estão proibidos de arrecadar dinheiro de empresas para custear as campanhas, apenas pessoas físicas podem realizar doações, ainda assim limitadas a 10% do rendimento do ano anterior.

Entretanto, como vemos essa nova restrição não é um impedimento para que as campanhas continuem sendo milionárias e fazendo pesar decisivamente o poder econômico. Os candidatos milionários, representantes direitos da burguesia, contam com a possibilidade do autofinanciamento, que continua sem limitação alguma. Como no caso de Meirelles, podem tirar do bolso a quantia que bem entenderem.

A lista de empresários que se autofinanciam conta com diversos outros exemplos, não à toa é notável uma movimentação do empresariado de se lançar a política. João Amôedo (NOVO), João Doria (PSDB), Flavio Rocha (PRB) são outros exemplos da máxima formulada por Marx: "O governo do Estado moderno não é mais que um comitê para gerir os negócios comuns de toda a classe burguesa".

Outro fator de desequilíbrio é a forma como é repartida a bolada do fundo eleitoral, que beneficia de forma escancarada os partidos maiores além das coligações. A coligação de Alckmin, por exemplo, irá faturar 48% do fundo eleitoral, o que significa R$ 828 milhões, destes R$ 43 milhões já foram repassados ao ex-governador. Individualmente, o MDB de Meirelles é o partido que possui a maior fatia do fundo eleitoral (R$ 234,2 milhões).

Dessa forma, é evidente o caráter restritivo da democracia burguesa, em que o dinheiro é um dos fatores decisivos para a eleição dos representantes. Não bastasse isso, também é notável a atuação do Judiciário em especial nessas eleições para manipular os candidatos que terão direito a se eleger. Na farsa das eleições os trabalhadores dificilmente possuem espaço para projetar a sua voz. É por isso que apresentamos a chapa nacional do MRT com um programa anticapitalista para contrapor às saídas da burguesia de descarregar a crise sob os trabalhadores uma alternativa que fortaleça a luta em cada local de trabalho e estudo. Convidamos a todos a conhecer nossas candidaturas!




Tópicos relacionados

Meirelles   /    Eleições 2018   /    PMDB   /    Alckmin   /    Política

Comentários

Comentar