Política

ELEIÇÕES 2018: CRISE MIGRATÓRIA

Meirelles cobra firmeza do governo frente crise migratória, "Não podemos ajudar regime de Maduro"

quarta-feira 29 de agosto| Edição do dia

O candidato à Presidência da República pelo MDB, Henrique Meirelles, é daqueles que cobra uma postura dura do governo diante da crise migratória de venezuelanos em Roraima. Durante uma coletiva na na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) afirmou: "Não podemos ajudar um regime que está criando essa tragédia humana, econômica e de toda ordem. Vamos trabalhar duro para ajudar a população da Venezuela nessa crise monumental, mas se organizando e não jogando essa carga na população de Roraima".

Como outros de seus partidários que buscam culpar o governo "comunista" da Venezuela pela crise humanitária na região e se isentar de qualquer responsabilidade pelos refugiados venezuelanos que fogem de uma situação de extrema vulnerabilidade em seu país, como a falta de alimentos e medicamentos, e querem impor o fechamento da fronteira impedindo o acesso.

O senador emedebista do estado Romero Jucá deixou o cargo de líder do governo Temer no Senado frente a política migratória na região, já que o governo não impôs o fechamento da fronteira como ele gostaria, atendendo os desejos xenófobos da população local, e da governadora do estado Sueli Campos (PP). Nem o decreto da intervenção das forças armadas na região, a GLO assinada no dia de hoje pelo presidente, contentou os políticos xenófobos da região.




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    Política

Comentários

Comentar