Sociedade

CORONAVÍRUS

Médicos são obrigados a usar saco plástico no lugar de equipamento de proteção por precarização

A Secretaria Municipal da Saúde repudiou a atitude dos trabalhadores Hospital Salgado Filho da Zona Norte do Rio de Janeiro de usar sacos plásticos, que estava sendo uma tentativa de se proteger frente à negligência do Estado com medidas de segurança e prevenção.

sábado 21 de março| Edição do dia

Trabalhadores da saúde do Hospital Salgado Filho da Zona Norte do Rio de Janeiro denunciaram más condições de trabalho. Os médicos da unidade já haviam anteriormente que trabalhavam com máscaras convencionais e não com a N95 que é recomendada pelo Ministério da Saúde para aqueles que trabalham na saúde e estão em contato direto com pacientes.

Foi relatado por parte de trabalhadores do Hospital Salgado Filho, que fica na Zona Norte do Rio de Janeiro, a falta de materiais básicos para atendimento dos pacientes. Os trabalhadores do hospital também disseram que há insegurança nos hospitais devido à falta de treinamento para colocar e retirar os EPIS - Equipamento de Proteção Individual - como óculos, capotes e luvas, que não podem ser contaminados.

A Secretaria Municipal da Saúde repudiou a atitude de usar sacos plásticos, que estava sendo uma tentativa de se proteger frente à negligência do Estado com medidas de segurança e prevenção. Essa precarização escancara o cenário de más condições que as trabalhadoras e trabalhadores da saúde estão enfrentando frente à crise do coronavírus. Os trabalhadores da área da saúde precisam urgentemente de todos os materiais necessários para manter sua proteção nessa situação.

Esse e muitos outros casos refletem o descaso do qual o governo vem tratando não apenas aqueles que são afetados pelo coronavírus e não encontram teste e mesmo tratamento adequado, leito, etc, como também aqueles que mais estão expostos ao vírus, que são justamente os que mais deveriam estar preparados e protegidos, que trabalham nos hospitais.

É absurda a forma como todos os trabalhadores da área da saúde vem sendo tratados, o governo precisa urgentemente aplicar um plano de emergência para que todos os materiais em falta sejam repostos. Além disso, para enfrentar essa crise são necessários testes gratuitos e massivos para todos, não apenas para aqueles que apresentem casos graves, pois dessa maneira será possível detectar todas as pessoas infectadas, visto que muitos dos infectados que podem estar transmitindo não estão apresentando sintomas. E também exigir a expansão do sistema público de saúde através da estatização dos hospitais e laboratórios privados sobre controle dos trabalhadores e da população, assim ampliando os leitos com a incorporação dos leitos da rede privada sem custo.

É por isso que em cada local de trabalho, nos bairros, precisamos tomar a frente e exigir que toda a produção esteja voltada para as demandas necessárias dada as atuais circunstâncias para que nenhum material fique em falta. Basta de destinar toda a produção para o lucro de banqueiros e grandes empresários" Toda força de trabalho precisa estar atrelada às demandas de toda a população! Apenas com os trabalhadores à frente, tomando o controle da produção, será possível impor uma saída para salvar vidas.

Nossa saúde vale mais que o lucro deles!




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    SUS   /    precarização   /    Sociedade   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar