Política

PORTO ALEGRE

Marchezan sobre Carris: “se alguém quiser, pode levar”

quarta-feira 28 de fevereiro| Edição do dia

É com esse deboche que o prefeito de Porto Alegre fala sobre a centenária Carris em evento na Associação Comercial de Porto Alegre, praticamente leiloando-a para garantir os lucros dos empresários do transporte. Detalhe para o título do evento, "Menu POA", como se Porto Alegre fosse um cardápio aberto para empresários poderem escolher o que vão comer.

Marchezan mentiu para a população portoalegrense durante sua campanha ao dizer que não privatizaria a Carris. Agora, depois de parcelar salários dos servidores, atacar a educação pública, querer privatizar o DMAE, o tucano avança contra a Carris - patrimônio público da capital.

“Se alguém quiser, pode levar. É um favor que faz para a administração. Mas precisa assumir as despesas com pessoal e dívidas trabalhistas”, afirmou o prefeito. Na mesma palestra na Associação que reuniu empresários em Porto Alegre, o tucano também falou de extinguir a Fasc, Fundação de Assistência Social, fundação que presta diversos serviços sociais na capital.

Tais medidas servem para descarregar a crise econômica nas costas da população, vendendo e precarizando serviços públicos essenciais em benefício do grande empresariado que visa tão somente o lucro. Se, segundo a prefeitura, a Carris gera tanto prejuízo, por que os grandes empresários vão querer comprá-la?

Quem sai perdendo é a população. O transporte público nas mãos das empresas privadas visa o lucro de poucos. Enquanto isso centenas de milhares de trabalhadores pagam tarifas abusivas para se utilizar do transporte público lotado, com cada vez mais cortes de linhas e precarizado.

A única maneira de avançar em um transporte público de qualidade é colocando nas mãos dos trabalhadores para gerir, estatizando as privadas sob controle dos rodoviários e usuários.




Tópicos relacionados

rodoviários   /    Marchezan   /    transporte público poa   /    rodoviários poa   /    PSDB   /    Porto Alegre   /    Transporte   /    Política

Comentários

Comentar