Educação

PROFESSORES

Marchezan não dialoga e mobilização de professores de Porto Alegre continua

Marcha com mais de mil professores da rede municipal de Porto Alegre chega até a prefeitura e é recebida sem diálogo por parte do prefeito Marchezan Jr. Os professores lutam contra decreto que vai alterar a escala de horas da categoria, deixando alunos sozinhos durante meia hora por dia na escola e precarizando ainda mais o regime de trabalho dos educadores.

sexta-feira 3 de março de 2017| Edição do dia

Mesmo sob sol escaldante, os mais de mil professores da rede municipal marcharam até a prefeitura, como reportamos nessa matéria.

O novo prefeito da capital gaúcha, Nelson Marchezan Jr. (PSDB), não os recebeu, mas mesmo assim a mobilização segue. O ato foi recebido pela prefeitura com a Guarda Municipal barrando a entrada dos manifestantes.

Na próxima quinta-feira (9), os educadores vão se reunir com o conjunto dos municipários da cidade para uma assembleia geral dos servidores para engrossar o caldo da mobilização contra a prefeitura de Marchezan. Veja nota do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (SIMPA) sobre hoje:

EDUCADORES VÃO MANTER O MESMO FUNCIONAMENTO NAS ESCOLAS

Os trabalhadores em educação do município de Porto Alegre decidiram manter a rotina das escolas, organizada em 2016, para o ano letivo de 2017. O planejamento, feito junto com a comunidade escolar, está sendo reforçado pelos conselhos escolares, que farão assembleias em cada escola da rede. A decisão ocorreu nessa manhã (3/3), quando mais de mil trabalhadores participaram da assembleia da Educação, na Igreja Pompeia. Depois, saíram em grande caminhada pelo centro da cidade, até chegarem ao Paço Municipal.

Simpa e Atempa vão participar da reunião agendada com o Secretário de Educação, no dia 7 de março, e também vão pressionar o prefeito Marchezan Jr. para receber as entidades. Hoje, o prefeito não aceitou dialogar, apesar da forte mobilização da categoria em frente à Prefeitura.

Os educadores também vão agendar reunião com o Conselho Municipal da Criança e do Adolescente para acionar o Ministério Público e a Promotoria da Infância e da Juventude sobre os riscos do período em que as crianças ficarão sozinhas na escola.

LUTA MUNICIPÁRIA

No dia 21/2, a Rede Municipal de Ensino foi pega de surpresa com as mudanças sobre o regime normal de trabalho no Magistério, anunciadas pelo Secretário Municipal de Educação, Adriano de Britto, em reunião com as direções de escola. As mudanças desrespeitam a organização dos tempos da escola já construídos pelos educadores para o início do ano letivo e geram muitas dúvidas na comunidade escolar.

PEDIMOS A REVOGAÇÃO DO DECRETO!
#NenhumDireitoAMenos
#EducaçãoSemMordaça




Tópicos relacionados

Marchezan   /    Greve Professores RS   /    Porto Alegre   /    Educação   /    Professores

Comentários

Comentar