Política

PORTO ALEGRE

Marchezan faz demagogia com lucros da Carris e segue sucateando o transporte público

Nesta segunda (23/09/19), o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan, apresentou o resultado de que sua gestão havia recuperado a Cia Carris, apontando o primeiro lucro desde 2012. No mesmo sentido, a diretora presidente da Cia Carris, Helen Machado , exaltava em entrevista que essa conquista era resultado tão somente de sua gerência e de seus cargos comissionados.

sábado 28 de setembro| Edição do dia

Marchezan iniciou sua administração, acusando a Carris de usar dinheiro público para se manter, e que ele iria privatizá-la, para estancar a sangria do dinheiro, que demagogicamente referia ser do seu João e da dona Maria.

Às vésperas da eleição, sem habilidade política para aprovar uma autorização de privatização da Carris na Câmara de vereadores, somado ao receio dos empresários de ônibus de assumir linhas da Carris num cenário de queda de passageiros, Marchezan anunciou que não irá mais privatizar a Carris.

Nos gráficos lindos e nos discursos entusiasmados de uma Nova Carris, faltou a presença do custo para se atingir esses números. Trabalhadores da Carris e passageiros sofrem as consequências de uma gestão que sucateou a empresa de forma intencional, oferecendo a seus trabalhadores ônibus sem condições ideais de trabalho , com linhas com horários não cumpridos por falta de ônibus ou funcionários. Atraso na compra de peças inviabilizando o trabalho da oficina numa manutenção preventiva . Uma gestão que constrange seus trabalhadores proibindo troca de escalas, escolha de período de férias, punições e demissões arbitrárias, retirada de bebedouros e fogões dos terminais, revista com detector de metais na entrada da empresa para gerar conflitos e o fechamento unilateral da sede dos funcionários. Para os passageiros, sobrou a espera, cada vez maior, por ônibus lotados, velhos e sujos, com ar condicionado sem funcionar por falta de manutenção, e a rotina de viagens interrompidas por quebras de ônibus e baldeações para ônibus mais lotados.

A Nova Carris de Marchezan e de Helen Machado é a síntese da política atual, onde trabalhadores ( funcionários e passageiros) pagam a conta com seu sacrifício diário, para que os lucros dos barões do transporte coletivo seja mantido. Essa excelência de Carris e de um transporte público de qualidade, só existe no discurso, que mais uma vez, vai embalar o palanque de Marchezan.

Os trabalhadores da Carris não precisam da ingerência de Marchezan e dos empresários do transporte para gerir a empresa, pois juntos aos usuários do transporte sabem das necessidades reais da empresa. Por isso é necessário uma Carris 100% pública, com controle do trabalhadores e dos usuários. Assim como fortalecer a luta dos trabalhadores da carris, pois são eles que de fato podem dar uma verdadeira saída para a crise da carris e pra cidade como um todo no que tange o transporte público. A carris pode ser o ponto de partida para a estatização total do transporte público em porto alegre, com uma gestão mista entre trabalhadores e sociedade, para impor uma derrota aos barões que dominam a cidade a mais de meio século, oferecendo péssimos serviços a preços impagáveis pela maioria da população pobre, que é quem mais necessita do serviço.




Tópicos relacionados

Precarização do Transporte Público   /    carris   /    transporte público poa   /    Política

Comentários

Comentar