Política

PRIVILÉGIOS DO JUDICIÁRIO

Marcelo Bretas, juiz da Lava Jato no Rio, recebe auxílio-moradia que soma quase R$9 mil

O juiz da Lava-Jato no Rio de Janeiro, Marcelo Bretas, e sua esposa também juíza da mesma categoria, recebem juntos dois auxílios-moradia, que somam o montante de R$8,7 mil ao casal por mês. Esse acúmulo de auxílios é proibido pelo Conselho Nacional de Justiça.

segunda-feira 29 de janeiro| Edição do dia

Foto: Leonardo Wen/Folhapress

Marcelo Bretas é o grande chefe da Operação Lava Jato no Rio, um tipo de Sérgio Moro fluminense. Esse acúmulo de benefícios foi conseguido através de pedido na justiça por parte de Bretas, já que é proibido que dois juízes recebam auxílio-moradia se morarem sob o mesmo teto, como é o caso de Marcelo e Simone Bretas.

Essa é mais uma expressão dos privilégios existentes no judiciário, onde juízes eleitos por ninguém ganham salários milionários e diversos auxílios para exercer sua arbitrariedade. Não bastasse o salário de R$ 28.947,55 que cada um dos juízes recebem, com essa decisão judicial cada um ainda recebe um auxílio-moradia no valor de R$ 4.377,73. Segundo o portal da transparência do CNJ, em dezembro de 2017 Marcelo Bretas teve um total de rendimentos brutos no valor de R$ 43.054,35, enquanto sua esposa Simone levou o valor bruto de R$ 45.442,55.

Ainda assim, não bastasse os exorbitantes valores mensais recebidos pelo casal, que estão completamente fora da realidade da ampla maioria dos trabalhadores, o juiz da Lava Jato do Rio teve a cara de pau de reivindicar seu direito de receber ainda mais. Em seu twitter Bretas debochou daqueles que acharam um absurdo a duplicação do benefício e defendeu que apenas reivindicou seu direito de receber quase R$9 mil reais apenas em benefícios para garantir sua moradia. Esse valor conjunto é quase 10 vezes mais do que o salário mínimo, que o governo estipula para que um trabalhador garanta não apenas sua moradia, mas o sustento de toda a família.

A estudante da UERJ Isabela Santos também denunciou que cada auxílio-moradia recebido por um juiz federal equivale a 10 bolsas de auxílio que os estudantes recebem, na maioria das vezes com atraso. Sua denúncia, que viralizou no twitter, pode ser vista aqui.

Super-salários e inúmeros privilégios é a realidade da casta judiciária, que enriquece decidindo os rumos do país. Atuam em prol dos lucros dos empresários, com um crescente autoritarismo e seus julgamentos políticos, onde tomam decisões que passam longe da neutralidade e imparcialidade e que sequestram da população o direito de tomar suas próprias decisões, como vimos na última semana com a arbitrário julgamento do Lula.

Pode te interessar: 5 motivos que explicam por que o judiciário privilegiado não pode definir o rumo das eleições




Tópicos relacionados

"Partido Judiciário"   /    Poder Judiciário   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar