Negr@s

26 ANOS DE IMPUNIDADE

Marcello Pablito denuncia: "O massacre do Carandiru segue impune pelo Judiciário racista!"

Hoje completa 26 anos do massacre do Carandiru. Marcello Pablito, militante da agrupação de negras e negros Quilombo Vermelho, denuncia o Judiciário racista que atua para seguir impune por todos estes anos o massacre de jovens negros acontecido em 1992, onde muitos mortos sequer haviam sido julgados.

terça-feira 2 de outubro| Edição do dia

Reproduzimos declaração: "Hoje completa 26 anos de um dos episódios mais sanguinários da história recente do Brasil em que o governador de SP, Fleury (PMDB), ordenou o massacre de, em tese, 111 presos no Carandiru - o que sabemos que foi muito mais do que o número oficial divulgado.

São 26 anos de impunidade por parte do Judiciário aos envolvidos nesse massacre que assassinou centenas de negros e pobres, muitos dos quais sequer tinham sido julgados.

Casos de impunidade seguem latentes até hoje. São mais de 6 meses da execução impune de Marielle Franco, da prisão ilegal de Rafael Braga e de centenas de mortes na intervenção federal no Rio de Janeiro.

Recentemente, este mesmo Judiciário que inocenta os responsáveis pelo massacre do Carandiru encabeçou a humilhação da advogada negra Valeria Santos, e inocentou Jair Bolsonaro das suas declarações profundamente racistas, perpetuando a opressão sobre os negros e a dominação capitalista. Basta de impunidade, racismo e assassinar a população negra! Júri popular para os mandantes e assassinos do massacre do Carandiru! Justiça e investigação independente para a execução de Marielle Franco! Pelo fim da polícia assassina!"

Leia mais:Massacre do Carandiru: 26 anos de impunidade pelas mãos de um judiciário racista

Candidato a deputado estadual pelo MRT, Marcello Pablito, é trabalhador do bandejão da USP e fundador do grupo de negros e negras Quilombo Vermelho. Veja mais sobre as candidaturas do MRT aqui.




Tópicos relacionados

Marcello Pablito   /    MRT   /    Candidatos MRT   /    Poder Judiciário   /    Racismo   /    Negr@s

Comentários

Comentar