Opinião

ATENTADO NA SOMÁLIA

Marcello Pablito: "Perdemos nossos irmãos negros em guerras impostas pelo capital estrangeiro"

terça-feira 17 de outubro| Edição do dia

Marcello Pablito, diretor do Sindicato dos Trabalhadores da USP e membro da Secretaria de Negros do SINTUSP, disse sobre o atentado na Somália:

"Os governos imperialistas saqueiam o continente africano há séculos. Primeiro com a captura e escravização de milhões de negras e negros em benefício de seu enriquecimento. Com o fim da escravidão, dividiram a África em colônias de acordo com seus interesses na Conferência de Berlim em 1885. Países foram criados com total desprezo pela história, cultura e laços de afinidade locais. A independência dos países africanos foi resultado de lutas longas e árduas. Mas o capitalismo, as potências imperialistas somente enxergam no continente africano fonte de trabalho e matéria-prima. E assim, o saque continua.

O ataque terrorista em Mogasdício é o mais recente capítulo dessa história. Nos solidarizamos com as vítimas desse ataque reacionário e repudiamos as ações imperialistas no continente.

As organizações fundamentalistas islâmicas, como a Al-Shabbab, ligadas à Al-Qaeda e ao Estado Islâmico, são organizações reacionárias, que se fortaleceram em meio às intervenções dos Estados Unidos e da Europa no Oriente Médio e na África. São dois lados de uma equação que segue trazendo dor e sofrimento a milhões de trabalhadores, que perdem seus entes queridos por guerras que são impostas pelo grande capital estrangeiro e seus adversários reacionários locais. As organizações da classe trabalhadora, as organizações de direitos humanos, os sindicatos, partidos políticos, o movimento estudantil precisam prestar toda sua solidariedade ao povo somali. Confiamos em suas forças. A classe trabalhadora do continente africano, com a força demonstrada pelos mineiros de Marikana em sua luta, junto com seus aliados, o povo pobre e oprimido, precisa estar à frente no combate anti-imperialista."




Tópicos relacionados

Somália   /    África   /    Opinião

Comentários

Comentar