Política

MANIFESTANTES PRÓ-REABERTURA

Manifestantes da morte em BH pedem reabertura do comércio

Envoltos em bandeiras do Brasil e carregando um caixão eles se opunham a medida da prefeitura de voltar a fechar o comércio na capital mineira.

segunda-feira 29 de junho| Edição do dia

Foto: Reprodução/TV Globo

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), fez um decreto determinando que a partir desta segunda-feira (29/06) apenas serviços essenciais poderiam funcionar na cidade. A lista de serviços essenciais inclui diversas coisas que dificilmente seriam consideradas essenciais como indústrias, lojas de tinta e de materiais de construção.

Mesmo com o aumento da mortes e da ocupação dos leitos de UTI na cidade, os manifestantes, carregando bandeiras do Brasil, pediram a reabertura de restaurantes, academias e shoppings.

Mesmo que tenha recuado no processo de reabertura, a prefeitura de BH ainda mantém abertos diversos serviços apenas para manter os lucros dos grandes empresários. Mesmo assim, estes manifestantes, insuflados pela política negacionista de Bolsonaro, querem uma reabertura ainda maior, ampliando o risco para os trabalhadores, e garantindo o lucro para os empresários, grandes comerciantes e donos de shopping.

Neste momento, necessitamos que o auxílio emergencial seja liberado imediatamente para aqueles que ainda não conseguiram ter acesso, bem como que ele seja de 2 mil reais, para que possa ser capaz de sustentar uma família, bem como a liberação de todos aqueles que sejam do grupo de risco e os que não sejam de serviços verdadeiramente essenciais, proibindo demissões e cortes de salário. Somado a isso, testes massivos para que possamos planejar uma quarentena racional. Somente desta maneira poderíamos realmente ter uma quarentena eficiente no Brasil.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Política

Comentários

Comentar