Cultura

Manifestação em defesa da cultura em São Bernardo reúne centenas de jovens e é reprimida pela polícia

Ontem (08/02) foi convocado por artistas da cidade um ato em defesa da arte e da cultura na cidade. A manifestação com cerca de 300 pessoas, começou na Praça Brasil e foi até a casa do atual secretario de cultura da cidade, Adalberto José Guazzelli.

sexta-feira 9 de fevereiro| Edição do dia

Desde o golpe institucional que a cultura vem sendo atacada, na cidade de São Bernardo a situação está a cada dia pior. Vimos o fechamento do CLAC (centro livre de artes cênicas), o sucateamento do CAV (centro de áudio visual) e do CAJUV (coordenadoria de ações para a juventude), além da perseguição aos artistas de rua, as batalhas de rap, e inclusive ao uso de praças publicas.

Agora saiu um comunicado informando que o parque radical Cittá de Maróstica (a conhecida pista de skate – o maior espaço assim na America Latina) será fechado para reformas e quando abrir cobrará ingresso para os eventos realizados no parque. O secretário de cultura já deixou bem claro que a idéia é privatizar os parques da cidade.

Tudo isso em contra ponto a mega eventos realizados pela prefeitura com financiamento as SABESP no Riacho Grande. Ou seja, a prefeitura promove enormes eventos, com cachês milionários para artistas famosos, mas cala a arte periférica e independente. O cenário é que as expressões culturais se tornem grandes festivais, enquanto a arte independente vai sendo calada e reprimida.

Expressão disso foi à manifestação de ontem, onde cerca de 300 artistas da cidade se reuniram para dizer um basta as atitudes do prefeito Orlando Morando e do Secretario de cultura Adalberto José Guazzelli e foram recebidos pela repressão da policia com balas de borracha e bombas de gás. É essa a resposta que o prefeito e o secretario dão a população que grita por direitos básicos, como o acesso as expressões culturais.

O ato que saiu da Praça Brasil foi até a casa do secretario de cultura, onde os artistas da cidade gritavam por respostas, nesse momento a policia reprimiu o ato, deixando dois feridos. Os manifestantes voltaram em ato para a Praça Brasil e encerram com falas, contra o desmonte da cultura, contra a privatização dos parques, mas pra alem disso contra a reforma da previdência a reforma trabalhista e todos os ataques do governo golpista.




Tópicos relacionados

cultura   /    Arte   /    ABC paulista   /    Cultura

Comentários

Comentar