Sociedade

REPRESSÃO INTERIOR RJ

Manifestação antirracista foi reprimido pela PM no interior do Rio

domingo 7 de junho| Edição do dia

Na tarde dessa última sexta-feira (05) a Polícia Militar usou bombas de gás lacrimogêneo para reprimir ato contra a violência policial e contra o genocídio da população negra que acontecia em Campos de Goytacazes, interior do Rio de Janeiro. Contava com um número relativamente pequeno de manifestantes, em ação que aconteceu na véspera dos maiores atos antirracistas e antifascistas que foram colocados.

O estudante Fabio Azevedo, que estava na manifestação, relatou que “O ato estava pacífico, apenas com cartazes pedindo ‘basta’, ‘vidas negras importam’, gritos de ordem e música. A polícia pediu para não ter aglomeração, as pessoas se deslocaram, fazendo distanciamento social e, nesse momento, começaram a tirar fotos de quem estava ali”.

Ele relata que após cerca de 20 minutos, dois camburões da PM e três viaturas que estavam próximas do local, na Praça São Salvador, foram em direção ao ato. “Foi um susto porque jogaram uma bomba no meio da gente, sendo que ali no Pelourinho só tem passagem para pedestre. Os policiais estavam com armas pesadas, pareciam fuzis, para conter uma manifestação pacífica”.

Fabio conta que no protesto havia pessoas brancas e negras, a maioria estudantes, mas apenas as negras foram abordadas. “Um amigo meu, que é negro, foi intimidado no vidro do banco e bateram o cassetete na perna dele. Eu tentei filmar, mas veio um policial para cima de mim e eu acabei me perdendo do grupo”.

Os atos antifascistas e antirracistas vêm sendo brutalmente reprimidos e isso expressa o medo que Bolsonaro, Mourão, os militares e os capitalistas e também os governadores, tem com a possibilidade que a fúria negra antirracista e antifascista dos EUA contagie os negros e a classe trabalhadora brasileira.

Não podemos esquecer que Witzel tem o sangue do povo negro e pobre das favelas do Rio de Janeiro nas mãos, o sangue de Aghata, João Pedro, Evaldo dos Santos e tantos outros que exigimos justiça. E é por isso que não podemos nos intimidar, vamos às ruas nesse dia 07 gritar que vidas negras importam, por fora Bolsonaro e Mourão e por uma nova Constituinte livre e soberana. (https://www.esquerdadiario.com.br/Vamos-nas-manifestacoes-de-domingo-contra-o-racismo-e-por-uma-nova-Constituinte-contra-Bolsonaro).

Vídeo da repressão:




Tópicos relacionados

PM   /    Sociedade   /    Violência policial   /    Rio de Janeiro   /    [email protected]

Comentários

Comentar