Sociedade

POLÍCIA ASSASSINA

Major Olímpio incentiva a polícia mais assassina do mundo: “senta o dedo nesses malditos”

No sábado (4), o senador paulista, do PSL de Jair Bolsonaro, publicou um vídeo em suas redes sociais chamando os policiais a matarem ainda mais, alinhado com o presidente e com o ministro Sérgio Moro, que quer ainda mais impunidade para a polícia. O major completou: “se tiver que chorar, vai chorar a mãe de bandido”.

terça-feira 7 de maio| Edição do dia

Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo

Major Olímpio é parte da odiosa extrema direita brasileira que tem continuamente incentivado a polícia, que já é a mais assassina do mundo, a seguir o massacre de negros, pobres e moradores das periferias.

Tais declarações acontecem um mês após o disparo de 80 tiros pelo Exército em direção ao carro de uma família negra no Rio de Janeiro, que comoveu o país, com a morte do músico Evaldo Rosa e do catador de latinhas Luciano Macedo.

Os dados têm mostrado que os assassinatos pelas mãos da polícia estão chegando a números ainda maiores, fruto de uma política apoiada por governadores de extrema direita como João Doria (SP) e Wilson Witzel (RJ), e pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, com seu pacote “anticrime”, que quer dar ainda mais impunidade para a polícia matar.

A desculpa para mais uma apologia ao assassinato pelas mãos do Estado no vídeo do Major foi a execução de um policial da ROTA, que dias antes havia participado de uma ação da PM e da ROTA em Guararema que havia vitimado 11 pessoas.

Por um lado a extrema direita é amante dos ricos, defende os empresários e banqueiros que geram a desigualdade e apoiam medidas para piorar a situação dos pobres, como a já aprovada Reforma Trabalhista e a proposta atual de Reforma da Previdência. Por outro, frente à violência social causada pelos problemas que eles mesmo geraram, promovem a repressão e os assassinatos.




Tópicos relacionados

PM   /    PM São Paulo   /    Jair Bolsonaro   /    João Doria   /    Sociedade   /    São Paulo   /    violência policial   /    Negr@s

Comentários

Comentar