Política

EXTREMA-DIREITA

Major Olímpio abriga entre seus assessores ex-pm condenado por tortura

Segundo Major Olímpio, Carlos Jesus teria sido condenado injustamente e que “é de extrema confiança”.

quinta-feira 25 de abril| Edição do dia

Senador Major Olímpio (PSL-SP) / Foto de: Marcelo Camargo/Agência Nacional

Major Olímpio, senador pelo PSL-SP, nomeou, Carlos de Jesus, como seu assessor parlamentar para, segundo o senador, compensar “uma grande injustiça” feita ao ex-policial militar que foi condenado por tortura em 2002, e expulso da corporação.

Carlos de Jesus foi condenado pelo crime de tortura qualificada e lesões corporais gravíssimas, tendo uma pena de mais de 8 anos de prisão e expulsão da sua posição de Capitão da Polícia Militar. O crime foi cometido junto a um tenente, da mesma polícia, que também foi condenado, Paulo Sérgio dos Santos. As vítimas da tortura foram Marcelo Costa Pereira e André Ricardo Bispo, ambos suspeitos de terem assassinado um outro policial durante um assalto a uma empresa privada que este fazia um bico de segurança.

Os suspeitos, ao invés de serem encaminhados para o distrito policial, foram levados para um prédio da base comunitária da polícia e foram torturados com pontapés, socos, asfixia com sacos plásticos e choques que provocaram diversas queimaduras e a perda de um dedo de uma das vítimas.

Segundo Major Olímpio, Carlos Jesus teria sido condenado injustamente e que “é de extrema confiança”. Entre 2008 e 2012, Jesus foi segurança parlamentar de Olímpio, e em fevereiro deste ano, assumiu o cargo de assessor parlamentar, atendendo eleitores do Senador, principalmente aqueles que são membros de forças policiais.

Se o próprio presidente é um notório defensor dos métodos de tortura, reivindicando a figura de Ustra, qual a surpresa de um de seus principais aliados, o Major Olímpio, abrigar um tipo desses? O senador que é também um grande entusiasta da violência policial contra bandidagem, mesmo que esses supostos "bandidos", não tenham sido sequer investigados. Esse é o projeto de segurança da extrema-direita: o abuso de poder e violência policial contra a sociedade civil.




Tópicos relacionados

PSL   /    São Paulo (capital)   /    Política

Comentários

Comentar