Política

extrema-direita

Mais uma transexual esfaqueada por apoiador de Bolsonaro

A transexual identificada como Laysa Fortuna, de 25 anos, esfaqueada na noite desta quinta-feira (18) na região do tórax, no Centro de Aracaju (SE), morreu na tarde desta sexta-feira (19) no Hospital de Urgência de Sergipe, onde estava internada.

Jones Adriano Gaio

Professor da rede estadual do RS

sexta-feira 19 de outubro| Edição do dia

Laysa Fortuna teria sido atacada por um apoiador do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), segundo informações de Linda Brasil, amiga da jovem e que a socorreu após o ataque.

A escalada de violência cresce no Brasil na reta final do 2º turno das eleições. Mais um crime absurdo motivado pela intolerância e homofobia de um apoiador de Bolsonaro. A cada dia, os discursos de ódio e a homofobia do candidato da extrema-direita estão sendo colocados em prática por seus seguidores através de ações violentas.

O absurdo é que no dia da agressão, o assassino foi encaminhado à 4ª Delegacia Metropolitana, zona Sul da capital onde assinou termo circunstanciado e foi liberado pelo entendimento do delegado plantonista que entendeu lesão corporal leve (!!!).

O ódio disseminado por Bolsonaro em seus discursos contra negros, homossexuais e mulheres faz com que seus apoiadores sintam-se à vontade para realizar seus crimes. Bolsonaro é o verdadeiro culpado por essa escalada de violência.

Enquanto a extrema-direita se radicaliza, a esquerda petista ainda aposta todas as fichas nas urnas e na conciliação de classes. É fundamental, que a esquerda combativa e anticapitalista se organize e cerre fileiras junto a amplos setores da juventude e dos trabalhadores, criando comitês de base contra Bolsonaro. Somente assim, poderemos derrotar os ataques do capital, a reforma da previdência e a extrema-direita bolsonarista.




Tópicos relacionados

Comitês contra Bolsonaro   /    Extrema-direita   /    Eleições 2018   /    Bolsonaro   /    Homofobia e Transfobia   /    Política

Comentários

Comentar