Economia

CRISE ECONÔMICA

Mais uma fábrica da Aurora entrará em férias coletivas: riscos de mais demissões

A exclusão pela União Europeia de 20 unidades de frigoríficos da lista dos que estão autorizados a exportar frango para este bloco comercial impacta na chamada “crise do frango”. onde os trabalhadores podem estar em risco de sofrerem novas demissões.

quarta-feira 9 de maio| Edição do dia

A exclusão pela União Europeia de 20 unidades de frigoríficos da lista dos que estão autorizados a exportar frango para este bloco comercial impacta na chamada “crise do frango”. O ministro brasileiro de Agricultura afirma que essa exclusão tem motivos comerciais. Essa crise pode causar riscos de demissões e impactos de planejamento aos trabalhadores de duas fábricas da Cooperativa Central Aurora Alimentos, que anunciaram férias coletivas.

A empresa anunciou que os trabalhadores da unidade industrial de abate de processamento de aves de Guatambu, em Santa Catarina, entrarão de férias coletivas no mês de julho. Essa unidade emprega 1.283 trabalhadores e é a segunda a anunciar a medida de tentativa de recuperação dos lucros. A primeira unidade, com 1.391 trabalhadores, é a de Abelardo Luz, no mesmo estado.

Em comunicado, a empresa afirma que o mercado internacional tem impactado negativamente todas as companhias brasileiras exportadoras de aves desde agosto do ano passado, com um agravante que é uma retenção especulativa do suprimento do milho, e que medida de férias coletivas se tornou-se inadiável.

O orçamento de outras empresas, como da BRF, que engloba as marcas Sadia e Perdigão, também está afetado por essa crise. Isso significa que, para manter os altíssimos lucros dos empresários, a estabilidade dos trabalhadores é a que sai comprometida, já que as férias coletivas costumam estar acompanhadas de demissões.




Tópicos relacionados

Demissão   /    Santa Catarina   /    crise econômica   /    Economia

Comentários

Comentar